PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus causará queda de US$ 29,3 bilhões na receita do setor aéreo

20/02/2020 21h10

Genebra, 20 fev (EFE).- A epidemia de Covid-19 originada por um coronavírus na China provocará neste ano uma queda de US$ 29,3 bilhões na receita do transporte aéreo mundial, 5% a menos que o previsto, enquanto a demanda global cairá 0,6% na comparação interanual, informou nesta quinta-feira a Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA, na sigla em inglês).

Em relatório preliminar sobre o impacto econômico do alerta do coronavírus na indústria da aviação, a IATA prevê consequências adversas em todas as regiões, embora a Ásia-Pacífico seja a mais afetada, com US$ 27,8 bilhões a menos de receita e uma queda de 8,2% na demanda.

América do Norte e Europa são outros mercados que podem sofrer reduções de receitas, embora significativamente inferiores, cerca de US$ 700 milhões e US$ 600 milhões, respectivamente, embora se espere que a procura anual continue a crescer em comparação com 2019.

A epidemia causada pelo coronavírus inverteu as previsões de crescimento publicadas pela IATA em dezembro, que indicavam que Ásia-Pacífico continuaria a ser o mercado de crescimento mais rápido, impulsionado pela forte procura de voos domésticos na China.

Após o surto da epidemia, espera-se agora que na China, onde muitas companhias aéreas interromperam os voos internacionais devido à epidemia do coronavírus, as receitas da indústria neste ano sejam reduzidas em US$ 12,8 bilhões.

As previsões foram feitas levando em conta o impacto no setor aéreo da epidemia de SARS, que também teve origem na China, em 2003, o último ano em que se verificou um declínio interanual na demanda global de transporte aéreo.

"É prematuro estimar o que a queda de receita significará para a rentabilidade global, pois não sabemos exatamente como a epidemia se desenvolverá e se seguirá o mesmo perfil da SARS", disse a IATA em comunicado.

A entidade recomendou que os governos adotem "políticas fiscais e monetárias para tentar reduzir os impactos econômicos adversos" do coronavírus causador da Covid-19.

Notícias