PUBLICIDADE
Topo

Maia é 1ª autoridade brasileira a encontrar presidente eleito da Argentina

5.dez.2019 - Rodrigo Maia se reúne com Alberto Fernández, presidente eleito da Argentina - Divulgação
5.dez.2019 - Rodrigo Maia se reúne com Alberto Fernández, presidente eleito da Argentina Imagem: Divulgação
do UOL

Luciana Taddeo

Colaboração para o UOL, em Buenos Aires

05/12/2019 14h40Atualizada em 05/12/2019 17h32

Resumo da notícia

  • Rodrigo Maia se encontra com Alberto Fernández, eleito na Argentina
  • Presidente da Câmara disse que o Parlamento brasileiro estará representado na posse, no dia 10
  • Bolsonaro já afirmou que não vai à cerimônia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, foi a primeira autoridade do Estado brasileiro a se encontrar com o presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández. A reunião de hoje, que contou com a presença de outros líderes parlamentares brasileiros, aconteceu após um encontro de trabalho com o peronista Sergio Massa, formalizado ontem como presidente da Câmara dos Deputados do país e integrante da coalizão de Fernández.

Após o encontro com Massa, Maia disse à imprensa que a visita à Argentina é para "reafirmar que o Brasil tem todo o interesse e precisa da Argentina, e certamente a Argentina tem todo o interesse e precisa do Brasil". Segundo ele, se separados, "certamente" Brasil e Argentina serão "instrumentos dos outros países, principalmente nos seus interesses comerciais".

Maia destacou a importância da diplomacia parlamentar e disse que o Legislativo pode construir pontes importantes para ajudar na relação com Argentina. O encontro com Fernández não estava previsto na agenda inicial divulgada pela assessoria de Maia.

O presidente da Câmara esclareceu que esteve com Jair Bolsonaro nesta semana para informar da visita. Segundo ele, a receptividade do presidente foi "muito positiva". "Muito melhor do que eu imaginava", afirmou, esclarecendo que não foi ao país para fazer "nenhum convite" em nome do governo, mas que levou a mensagem de Bolsonaro de que a relação com a Argentina é importante que será mantida "em alto nível nos próximos anos".

Divulgação
Imagem: Divulgação

"Os debates ideológicos existem, às vezes eles ajudam, às vezes atrapalham, mas, sem dúvida nenhuma, pela minha conversa com o presidente, tenho certeza de que não apenas nossos Parlamentos vão trabalhar de maneira integrada, essa é uma decisão tomada pela maioria (...), mas que teremos, do ponto de vista prático, uma relação próxima em que nossos dois governos trabalhem em conjunto."

Além de Maia e Massa, participaram do encontro no Congresso argentino os deputados brasileiros Aguinaldo Ribeiro (PP), líder da maioria na Câmara, Baleia Rossi (MDB), Paulo Pimenta (PT), Elmar Nascimento (DEM) e Orlando Silva (PC do B). Do lado argentino, compareceram legisladores de diferentes forças, inclusive um do PRO, partido do presidente Mauricio Macri, que finaliza seu mandato no próximo dia 10.

"É importante mostrar à sociedade que talvez a diplomacia entre nossos Parlamentos possa até ter um papel mais importante ou do mesmo tamanho da importância da relação diplomática entre os governos", afirmou Maia.

O encontro de Maia com Alberto Fernández aconteceu após um almoço oferecido por Massa. "É uma visita de cortesia para falar que o Parlamento brasileiro está à disposição do Parlamento argentino para aprofundar o nosso diálogo e mostrar a importância que a Argentina tem para o Parlamento brasileiro", disse Maia.

Estiveram presentes também o futuro chanceler da Argentina, Felipe Solá e novo embaixador do país no Brasil, Daniel Scioli. Ambas as nomeações foram confirmadas nas apresentações deste encontro com Maia, pelo presidente eleito da Argentina.

"Se nos respeitamos, conviver é mais fácil. Transmitam ao presidente Jair Bolsonaro o meu respeito", disse Fernández, expressando desejo de trabalho conjunto. "Meu gesto com o Brasil é enviar como embaixador alguém muito valorizado por mim", manifestou ele, que disse ainda que os países têm um destino em comum. "Temos que cuidar que nenhuma conjuntura altere nossa relação: o Brasil é um irmão com outro idioma", afirmou o argentino.

Segundo Maia, a Câmara do Brasil "certamente" estará representada na posse do presidente argentino. Bolsonaro, que não parabenizou Fernández pela vitória, já disse que não vai à cerimônia.

"O contato mais importante é entre o Estado argentino e o Estado brasileiro", disse Massa ao ser questionado pelo UOL, na coletiva conjunta com Maia, sobre quando haverá contato entre os presidentes dos dois países. "É preciso sair da dinâmica do show das declarações pessoais. A história da relação entre a Argentina e o Brasil não pode depender do vínculo pessoal entre uma e outra pessoa", disse.

Para Massa, a relação com o Brasil é "imprescindível" e será consolidada com "todas as ferramentas" disponíveis.

Notícias