Topo

Ações europeias recuam de máxima em 4 anos e fecham em queda

19/11/2019 14h48

Por Agamoni Ghosh e Medha Singh

(Reuters) - As ações europeias reverteram o curso para fechar em queda em uma sessão instável nesta terça-feira, com a falta de clareza sobre o andamento das negociações comerciais entre Estados Unidos e China impedindo os investidores de fazer apostas ousadas.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,14%, a 1.588 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,12%, a 406 pontos, mas chegou a subir 0,5% para seu nível mais alto desde julho de 2015 mais cedo no pregão.

Uma notícia indicou na segunda-feira que Pequim estava pessimista sobre as perspectivas de fechar um pacto comercial com Washington, deixando os mercados em estado de tensão.

No entanto, houve algum alívio depois que o governo Trump emitiu uma nova extensão de 90 dias permitindo que as empresas norte-americanas continuem fazendo negócios com a chinesa Huawei Technologies.

A força dos setores defensivos, como serviços públicos e telecomunicações, onde os investidores haviam se refugiado durante a sessão anterior, começou a se desgastar, com os dois setores recuando entre 0,4% e 0,9%.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,22%, a 7.323 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,11%, a 13.221 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,35%, a 5.909 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,57%, a 23.329 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,01%, a 9.259 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,07%, a 5.260 pontos.

Notícias