Topo

Netanyahu interrompe visita aos EUA após foguete disparado de Gaza atingir casa em Tel-Aviv

Gil Cohen Magen/Xinhua
25.mar.2019 - Estragos em uma casa no norte de Tel Aviv, Israel, causados por tiros de foguetes a partir do território da Faixa de Gaza Imagem: Gil Cohen Magen/Xinhua

2019-03-25T10:48:00

25/03/2019 10h48

Um foguete lançado ontem à noite a partir da Faixa de Gaza atingiu uma casa ao norte de Tel Aviv e deixou sete feridos, um ataque que vai precipitar o retorno a Israel do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que está em uma visita aos Estados Unidos.

O foguete atingiu uma residência em Mishmeret, a mais de 80 km da Faixa de Gaza, um alvo pouco habitual para os disparos a partir do território palestino.

As Forças Armadas israelenses afirmaram no no Twitter que o lançamento de um "foguete de fabricação local" foi de autoria do Hamas, que negou a acusação.

O comando militar israelense decidiu enviar "duas brigadas de reforço à zona do comando sul", a região da Faixa de Gaza, e convocar um determinado número de reservistas, sem revelar a quantidade exata.

Os militares indicaram que o foguete foi lançado a partir do sul do território palestino e percorreu quase 120 km.

O Hamas foi taxativo ao negar nesta segunda o disparo o foguete e disse que o movimento islâmico palestino não tem interesse em um confronto com o Estado judeu.

"Ninguém dentro dos movimentos de resistência, incluindo o Hamas, não está interessado em disparar foguetes de Gaza contra o inimigo", disse à AFP um alto funcionário do movimento que controla a Faixa de Gaza, e que pediu anonimato.

Essa mesma mensagem foi transmitida ao Egito, que atua como mediador entre Israel e o Hamas, segundo a fonte.

Netanyahu, que está em uma visita aos Estados Unidos, prometeu responder "com força" ao ataque e decidiu encurtar sua viagem.

Em algumas horas me reunirei com o presidente (americano Donald) Trump e logo depois retornarei a Israel para dirigir de perto nossas operações", afirmou Netanyahu.

Em plena campanha eleitoral em Israel para as legislativas de 9 de abril, nas quais Netanyahu aspira conquistar um novo mandato, o primeiro-ministro declarou que "um ataque criminoso foi cometido contra o Estado de Israel e vamos responder com força",

Um organismo vinculado ao ministério da Defesa de Israel anunciou o fechamento das passagens de fronteira para pessoas e produtos entre Israel e o território palestino.

As forças israelenses respondem sistematicamente aos disparos de foguetes procedentes de Gaza, com ataques contra posições militares do Hamas, que controla a Faixa de Gaza.

Israel e Hamas protagonizaram três guerras na Faixa de Gaza desde que o movimento islamita assumiu o poder à força em 2007, depois que a comunidade internacional se recusou a reconhecer a vitória do movimento nas eleições legislativas palestinas.

Em 2018 as duas partes quase iniciaram outra guerra. Após um cessar-fogo informal em novembro e à medida que se aproxima o primeiro aniversário das manifestações que receberam o nome de "grande marcha do retorno", a tensão aumenta.

A queda do foguete em uma casa de Mishmeret provocou um incêndio, segundo a polícia e os serviços de emergência.

Quatro adultos e três crianças, incluindo um bebê de seis meses, foram internados, informou o hospital de Kfar Saba. Seis pessoas pertencem à mesma família e sofreram queimaduras e ferimentos leves por estilhaços.

A imprensa israelense mencionou a possibilidade de o foguete, do tipo Fajr, ter sido ativado de maneira acidental durante uma operação de manutenção.

Hamas e Jihad Islâmica negaram responsabilidade pelo disparo.

Mais Notícias