Topo

Paquistão toma controle de suposto quartel do grupo que atentou na Caxemira

2019-02-23T09:57:00

23/02/2019 09h57

Islamabad, 23 fev (EFE).- O governo do Paquistão tomou o controle administrativo de um madraçal (escola islâmica) que era o suposto quartel-general do grupo terrorista Jaesh-e-Mohammad (JeM), organização que reivindicou a autoria do ataque no qual morreram 42 policiais na Caxemira indiana, informou neste sábado uma fonte oficial.

O ministro de Informação paquistanês, Fawad Chaudhry, indicou que o Conselho de Segurança do país decidiu assumir o controle do madraçal como parte do Plano de Ação Nacional para conter o extremismo e que a ação não tem nada a ver com o ataque na Caxemira indiana.

No entanto, seu discurso esteve cheio de referências ao país vizinho.

"Este é o madraçal que a propaganda indiana alega que é o quartel-general do JeM", disse o ministro em um vídeo publicado no Twitter.

Chaudhry anunciou que permitirá que os jornalistas visitem o local "para que vejam como funciona e vejam a verdade por si próprios" do centro que acolhe aproximadamente 700 estudantes.

O atentado suicida de 14 de fevereiro com um veículo lotado de explosivos provocou a morte de 42 policiais indianos, o pior em 30 anos na região, e elevou as históricas tensões entre os dois rivais nucleares.

Após o ataque, a Índia acusou o Paquistão de apoiar o terrorismo responsável por esse atentado, anunciou sua intenção de isolá-lo diplomaticamente e aumentou os impostos sobre as importações vindas do país vizinho em 200%.

Além disso, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, deu carta branca para o exército de seu país para responder ao ataque e, desde então, o espectro de uma possível resposta militar indiana contra o Paquistão esteve no ar.

Por outro lado, o primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, ofereceu ao governo indiano realizar uma investigação se este compartilhasse informações de inteligência, mas avisou que seu país está preparado para responder a um possível ataque indiano.

A Caxemira, um dos territórios mais militarizados do mundo, é objeto de disputa entre o Paquistão e a Índia, que travaram duas guerras e vários conflitos bélicos menores pelo território.

A Índia acusa reiteradamente o Paquistão de apoiar o "terrorismo além da fronteira" e de permitir e patrocinar o funcionamento em seu território de grupos terroristas que têm como objetivo atacar alvos indianos e incentivar os protestos com motivação separatista entre a população da Caxemira. EFE

Mais Notícias