PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
15 dias

Laudo indica que mulher de promotor foi assassinada em BH, diz TV

Lorenza Maria Silva de Pinho morreu no começo de abril - Reprodução/Facebook
Lorenza Maria Silva de Pinho morreu no começo de abril Imagem: Reprodução/Facebook
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/04/2021 13h33

O laudo médico produzido pelo Instituo Médico Legal (IML) a respeito da morte de Lorenza Maria Silva de Pinho, de 41 anos aponta que o óbito não foi acidental. De acordo com informações da TV Globo, o relatório ainda será divulgado pelo Ministério Público, que escutará nesta segunda-feira (19) o médico que o produziu.

A emissora relata ainda que o promotor André Luís Garcia Pinto, que era casado com Lorenza, também prestará depoimento hoje. Ele foi preso no dia 4 abril por suspeita de ter matado a esposa. O casal teve cinco filhos.

A defesa de André sustenta a versão de morte acidental por engasgo, algo que é rechaçado pela família de Lorenza. De acordo com o relato do promotor para seu advogado, a mulher se engasgou e os procedimentos médicos não tiveram êxito. O suspeito teria acordado com Lorenza tossindo e se engasgando ao fim da madrugada.

"Estamos extremamente abalados, machucados e doídos internamente. Não é normal que uma a filha morra antes do pai, principalmente por uma morte estranha. Uma mulher de 41 anos, bem de saúde e bonita morrer engasgada? Eu, que sou leigo, acho muito estranho isso. Estamos em busca da verdade e que ela venha à tona. Caso exista um culpado, que seja fortemente punido, embora saibamos de todas as dificuldades", comentou o pai dela, Marco Aurélio Silva, de 72 anos.

Notícias