PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Homem descobre cogumelos crescendo em suas veias após injetá-los

Homem é hospitalizado e descobre cogumelos crescendo nas veias após injetá-los - Imagem: Peter Dejong (AP)
Homem é hospitalizado e descobre cogumelos crescendo nas veias após injetá-los Imagem: Imagem: Peter Dejong (AP)
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/01/2021 19h29

Um homem não identificado teve uma experiência desastrosa com cogumelos psicodélicos. Após injetar o fungo, cogumelos nasceram em suas veias, fato que causou falência em alguns órgãos.

De acordo com um relatório de caso publicado essa semana no Journal of the Academy of Consultation-Liaison Psychiatry, a família de um homem de 30 anos o levou para um hospital após ele ter injetado cogumelos psicodélicos em suas veias.

Os médicos descobriram que o homem, que não teve o nome divulgado no relatório, tinha transtorno bipolar e não tomava medicamentos. Em busca de automedicar-se, ele pesquisou como poderia curar seu vício em opioides e diminuir os sintomas do transtorno e leu sobre o potencial da psilocibina, droga encontrada em alguns cogumelos e usada no tratamento de sintomas de depressão e ansiedade.

O homem então ferveu os cogumelos em água, filtrou o líquido e injetou a substância em sua corrente sanguínea. Alguns dias depois sentiu cansaço, passou a vomitar sangue e teve diarreia.

Ao ser levado ao hospital, não conseguiu dar respostas lúcidas aos médicos, que depois encontraram lesões em seus rins e no fígado, órgãos que pareciam apresentar falência.

Ao coletar sangue para exames foi que descobriu-se o fato ainda mais chocante. Os cogumelos, que crescem em lugares escuros, estavam crescendo dentro de suas veias, o que causou os problemas de saúde e os sintomas apresentados.

Segundo o relatório, o paciente passou 22 dias no hospital, sendo oito deles na UTI, sendo tratado com antibióticos e antifúngicos. "O caso relatado ressalta a necessidade de educação pública contínua em relação aos perigos inerentes ao uso desta e de outras drogas, de maneiras diferentes das prescritas", escreveram os autores.

Notícias