PUBLICIDADE
Topo

Colômbia encontra armamento supostamente venezuelano em posse de rebeldes

15/07/2020 15h45

Bogotá, 15 Jul 2020 (AFP) - Militares colombianos anunciaram nesta quarta-feira (15) a descoberta de nove granadas de fuzil antitanque supostamente das forças armadas da Venezuela e que estavam nas mãos de rebeldes que se retiraram do acordo de paz.

O armamento de uso convencional dos exércitos estava escondido perto de um cemitério no departamento de Arauca (nordeste), a 20 km da fronteira com a Venezuela, de acordo com o general Jairo Alejandro Fontes.

"Este material não faz parte das Forças Militares da Colômbia, de tal modo que estamos fazendo todo o trabalho de rastreamento, liderado por nossa procuradoria, para analisar exatamente a procedência, que presumimos ser da força nacional bolivariana", disse o oficial à W radio.

As granadas de fuzil antitanque M60 pertenciam a um grupo que opera em Arauca e faz parte das chamadas dissidências das FARC, a outrora poderosa guerrilha cuja maioria dos combatentes renunciou às armas em 2016 após assinar um acordo de paz.

Fontes, comandante da Oitava Divisão do exército colombiano, chamou a atenção para o suposto tráfico de armas da Venezuela para os guerrilheiros que decidiram continuar com a luta armada, em meio a um conflito de seis décadas.

"Isso é extremamente delicado porque já estamos falando que há fornecimento de material convencional para esses grupos", insistiu o oficial.

Sem relações com o governo de Nicolás Maduro, a Colômbia acusa as autoridades chavistas de dar refúgio aos líderes rebeldes colombianos.

Os dois países compartilham uma fronteira de cerca de 2.200 km onde historicamente operaram organizações dedicadas ao tráfico de armas, combustível e drogas.

vel/yow/aa

Notícias