PUBLICIDADE
Topo

Presidente da Itália condecora 'heróis' da pandemia

A Torre de Pisa, na Itália, foi reaberta ao publico com um flashmob que reuniu a população, com distanciamento social, na Piazza dei Miracoli  - Getty Images
A Torre de Pisa, na Itália, foi reaberta ao publico com um flashmob que reuniu a população, com distanciamento social, na Piazza dei Miracoli Imagem: Getty Images

03/06/2020 08h08

O presidente da Itália, Sergio Mattarella, anunciou hoje a condecoração de 57 cidadãos pelo seu empenho no combate à pandemia do coronavírus Sars-CoV-2, que já infectou mais de 233 mil pessoas e deixou cerca de 33,5 mil mortos no país.

Segundo comunicado da Presidência, o grupo receberá a medalha de Cavaleiro da Ordem do Mérito da República Italiana e inclui pessoas de diversas profissões e proveniência geográfica. "Os reconhecimentos, atribuídos individualmente, representam o empenho de tantos cidadãos em nome da solidariedade e dos valores constitucionais", diz a nota.

Entre os condecorados estão médicos e enfermeiros que atuam na linha de frente contra a pandemia e pesquisadores do Instituto Lazzaro Spallanzani, maior referência em doenças infecciosas na Itália, do Hospital Sacco e da Universidade dos Estudos de Milão.

Além disso, a homenagem contempla o policial Ettore Cannabona, que doou todo o seu salário para beneficência; o jogador de rúgbi Mata Maxime Esuite Mbandà, voluntário em ambulâncias de uma associação de Parma; a faxineira Concetta D'Isanto, simbolizando os funcionários que permitiram aos hospitais fazerem seu trabalho durante a emergência; a caixa de supermercado Rosa Maria Lucchetti, que doou três cartões pré-pagos de 250 euros para socorristas; e o imigrante e entregador de aplicativo Mahmoud Lufti Ghuniem, que doou mil máscaras para a Cruz Vermelha, entre outros.

"Recebi há pouco a notícia de alguns conhecidos, pensei que era brincadeira. É algo que me emocionou muito", disse Daniele La Spina, voluntário de uma associação de Turim que levava itens de primeira necessidade a quem não podia sair de casa, especialmente idosos solitários.

"Não fiz nada além do que fizeram outros voluntários, nossa força é estarmos todos juntos", acrescentou La Spina. Outro homenageado, Giuseppe Maestri, dono de uma farmácia em Codogno, "marco zero" da pandemia na Itália, também foi pego de surpresa.

"Eu fui nomeado cavaleiro pelo presidente Mattarella? De verdade?", disse, ao ser contatado pela ANSA. Morador de Piacenza, a 20 quilômetros de Codogno, Maestri não quis ficar em casa após a cidade ter sido colocada em lockdown, no fim de fevereiro.

"Nunca pensei em não ir. Claro que eu estava um pouco preocupado porque tenho filhos, mas nos protegemos e não corremos riscos", contou. A farmácia ficava de portas fechadas, e os clientes esperavam sua vez do lado de fora, ou então Maestri e sua equipe faziam entregas em domicílio.

"A única coisa que lamento é que perdi meu pai há 15 dias. Ele era médico e, brincando, me dizia: 'Vão fazer de você um herói nacional'", acrescentou. A condecoração chega um dia após o presidente da República ter visitado Codogno, onde ele foi recebido de forma calorosa pelos cidadãos.

O município de 16 mil habitantes registrou os primeiros casos de transmissão interna do Sars-CoV-2 na Itália.

Notícias