PUBLICIDADE
Topo

Opep+ confirma acordo para corte de 10 milhões de barris por dia na oferta

Bombeamento de petróleo em Ufá, na Rússia - Sergei Karpukhin
Bombeamento de petróleo em Ufá, na Rússia Imagem: Sergei Karpukhin

Sergio Caldas

São Paulo

10/04/2020 07h09

A Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e aliados que incluem a Rússia confirmaram hoje que chegaram a um acordo para reduzir sua produção coletiva em mais 10 milhões de barris por dia (bpd), após concluírem uma reunião virtual de mais de 11 horas. O México, porém, ainda não endossou o acerto.

O acordo, que vem num momento em que a pandemia do coronavírus tem prejudicado fortemente a demanda por petróleo, prevê que o corte fique em vigor por dois meses, a partir de 1° de maio, segundo comunicado divulgado pela Opep nas primeiras horas de hoje.

A Opep+, como é conhecido o grupo formado pela Opep e aliados, decidiu ainda que o corte na produção diminuiria para 8 milhões de bpd ao longo do segundo semestre de 2020. A partir de janeiro de 2021, passaria a valer uma redução de 6 milhões de bpd na oferta, que ficaria em vigor até abril de 2022.

O acerto foi aprovado por todos os participantes da Opep+, com exceção do México. Por esse motivo, a implementação do acordo dependerá do aval mexicano, explica o comunicado.

Em mensagem publicada no Twitter, a ministra de Energia do México, Rocío Nahle, disse que seu país estaria disposto a cortar sua produção em 100 mil bpd nos próximos dois meses.

Notícias