PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus e migrantes: Grécia determina isolamento total em 2 acampamentos

05/04/2020 15h46

A Grécia acaba de colocar um segundo acampamento de migrantes em quarentena obrigatória. Malakasa, localizado a 38 quilômetros de Atenas, foi colocado em "confinamento sanitário total".

A Grécia acaba de colocar um segundo acampamento de migrantes em quarentena obrigatória. Malakasa, localizado a 38 quilômetros de Atenas, foi colocado em "confinamento sanitário total".

Um cidadão afegão de 53 anos de idade, afetado pela Covid-19, apresentou-se à clínica no acampamento de Malakasa depois de sentir os sintomas. Ele já possuía uma comorbidade.

Localizado a 38 quilômetros a nordeste da capital Atenas, o local foi colocado "em confinamento sanitário total" por 14 dias, com proibição total de entradas ou saídas, declarou o Ministério das Migrações da Grécia.

O paciente foi levado para um hospital em Atenas, onde testou positivo para o coronavírus. Sua família foi colocada em confinamento total, e um controle geral do acampamento está em andamento. O ministro  grego Notis Mitarachi advertiu que quaisquer infratores do isolamento seriam processados.

Preocupação com ilhas gregas no mar Egeu

Na quinta-feira (2), uma fonte de infecção da Covid-19 já havia sido identificada no acampamento de imigrantes de Ritsona, 80 km ao norte de Atenas, onde 28 pessoas testaram positivo.

Os campos de imigrantes na Grécia hospedam dezenas de milhares de requerentes de asilo em condições precárias. Difícil respeitar as instruções de "distanciamento social" e gestos de proteção quando se precisa fazer fila para tomar banho.

Há uma preocupação especial com as cinco ilhas do mar Egeu, perto da Turquia - Lesbos, Samos, Quíos, Kos e Levros - que abrigam cerca de 36.000 migrantes em locais planejados para receber seis vezes menos pessoas.

Confinamento do país prorrogado por três semanas

As autoridades gregas anunciaram neste sábado (5) a prorrogação de três semanas até 27 de abril das medidas de confinamento existentes.

"Semanas difíceis nos esperam. Se relaxarmos nossos esforços, o vírus nos destruirá ", disse Nikos Hardalias, vice-ministro da Proteção Civil.

A Grécia tem hoje quase 1.700 casos de contaminação e 68 mortes. O governo grego espera impedir o deslocamento de pessoas por ocasião da Páscoa ortodoxa, que cai este ano em 19 de abril.

 

Notícias