Topo

Eleição pode encerrar domínio da esquerda no Uruguai

22/11/2019 18h37

MONTEVIDÉU, 22 NOV (ANSA) - O segundo turno das eleições presidenciais no Uruguai, marcado para o próximo domingo (24), pode determinar o fim da hegemonia neste século da esquerda, que governa o país desde 2005.   

Praticamente todas as pesquisas divulgadas em novembro apontam um favoritismo do candidato conservador Luis Alberto Lacalle Pou, que está em sua segunda tentativa de conquistar a Presidência.   

Líder do Partido Nacional, de centro-direita, Pou aparece com 49,9% a 52% dos votos em quatro pesquisas divulgadas nesta quinta-feira (21), enquanto o governista Daniel Martínez (Frente Ampla), apoiado pelo presidente Tabaré Vázquez, circula entre 41% e 44%.   

O primeiro turno havia terminado com Martínez (39,02%) à frente de Lacalle Pou (28,62%), mas o candidato conservador parece ter conseguido aglutinar o eleitorado de oposição para a votação de domingo. A Frente Ampla está no poder desde 2005, com Vázquez (2005 a 2010 e de 2015 em diante) e José Mujica (2010 a 2015).   

Lacalle Pou tem 46 anos e é filho do ex-presidente Luis Alberto Lacalle (1990-1995). Ele promete impor uma política de rigor fiscal, aumentar o policiamento e batalhar pela flexibilização do Mercosul. O presidente Jair Bolsonaro já declarou apoio ao opositor, o que gerou um desconforto diplomático com o governo uruguaio. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Notícias