Topo

Frota arrependido: para quem o deputado já pediu desculpas

16.ago.2019 - O deputado federal Alexandre Frota durante sua filiação ao PSDB - Aloisio Mauricio/Fotoarena/Estadão Conteúdo
16.ago.2019 - O deputado federal Alexandre Frota durante sua filiação ao PSDB Imagem: Aloisio Mauricio/Fotoarena/Estadão Conteúdo
do UOL

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

17/09/2019 13h35

Em um gesto de arrependimento, o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) decidiu pedir desculpas a Ciro Gomes (PDT), ex-candidato à Presidência em 2018, por "agressões verbalizadas" contra ele no passado.

O pedido foi público: em seu Twitter, Frota repostou uma publicação em que o Ciro critica a família de Jair Bolsonaro (PSL) e afirmou que o pedetista "tinha razão" sobre o atual presidente. Em resposta, Ciro disse que aceita o pedido, apesar de afirmar que não iria atribuir "relevância política" a ele.

Mas esta não foi a primeira vez em que a "metralhadora" Frota demonstrou estar arrependida por embates passados.

Em uma carta aos brasileiros, o deputado lamentou ter ajudado a eleger Bolsonaro presidente. "Peço desculpas ao Brasil por ter me enganado e prometo que vou ajudar o Congresso Nacional a colocar o país no rumo certo", diz o texto enviado por Frota ao portal Catraca Livre.

Frota, que foi um dos primeiros apoiadores de Bolsonaro e atuou como articulador do PSL na Câmara, acabou expulso do partido no mês passado após disparar críticas contra o presidente, seus apoiadores e os direcionamentos do governo. Ele se filiou então ao PSDB, a convite do governador de São Paulo, João Doria.

Outros pedidos de desculpas aconteceram antes da expulsão de Frota do PSL. Em junho, pelo Twitter, ele chamou a deputada Sâmia Bomfim (PSOL-SP) de "hamburgão da Câmara Federal". A atitude repercutiu, o deputado apagou o tuite e pediu desculpas à parlamentar.

Em janeiro, foi a vez de outro pedetista receber um pedido de perdão de Frota. Em seu Instagram, o deputado federal Túlio Gadêlha (PDT-PE) disse ter sido surpreendido com uma visita expressa de Frota e com um pedido de desculpas do deputado.

"Estamos em campos opostos, mas não precisamos conviver com o ódio", escreveu Gadêlha. Em dezembro de 2018, ele foi à Justiça contra Frota por suposta prática de xenofobia. No Twitter, ao rebater um internauta que o chamou de "ator pornô", Frota disse que a pessoa "só podia ser de Pernambuco".

Apesar de acumular arrependimentos, Frota continua sem papas na língua. No Twitter, ele vem direcionando as críticas a Bolsonaro e seus aliados.

O único poupado por Frota é o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro --cuja popularidade é maior do que a de Bolsonaro, segundo o Datafolha.

Mais Notícias