PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Navio tombado com 4 mil carros fica em chamas durante resgate nos EUA

do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/05/2021 17h55Atualizada em 15/05/2021 10h27

O navio Golden Ray, de propriedade da Hyundai Glovis, ficou em chamas hoje durante a operação que promete resgatá-lo do mar em fatias. Ele tombou na costa norte-americana do estado da Geórgia em 8 de setembro de 2019 com cerca de 4.200 carros abordo.

Em uma postagem no Facebook, o Departamento de Recursos Naturais da Geórgia disse que está ciente do incêndio no local do naufrágio e que toda a equipe já foi evacuada. Até agora, não há registros de pessoas feridas.

O fogo começou por volta do meio-dia e cresceu significativamente em uma hora.

navio - Arquivo pessoal/João Guilherme Ferreira Alves - Arquivo pessoal/João Guilherme Ferreira Alves
Não há registros de feridos em incêndio no navio
Imagem: Arquivo pessoal/João Guilherme Ferreira Alves

Ainda, segundo o departamento, quando o fogo iniciou os funcionários estavam conduzindo operações prévias ao corte do navio e usando ativamente sistemas de supressão de incêndio como uma medida preventiva.

Embarcações de combate a incêndios já estão no local, segundo a emissora WJAX-TV. Também há uma equipe conduzindo monitoramento do ar da comunidade.

A causa do incidente ainda permanece desconhecida. Entretanto, no ano passado, foi divulgado que incêndios já eram previstos como parte do processo de desmonte do navio, por conta do atrito das correntes contra o metal e da presença de fluidos inflamáveis nos carros, como gasolina e lubrificantes.

Entenda a situação

Há meses, o navio cargueiro vem sendo fatiado após ter tombado na Ilha de St. Simons, Geórgia, nas primeiras horas da manhã de 8 de setembro de 2019. Na ocasião, a embarcação carregava 4.200 carros.

A operação para a remoção no local durou aproximadamente um ano para começar, tendo sido iniciada no final de outubro do ano passado. Apesar da espera, equipes tentaram por duas vezes retirar o navio do local, mas foram interrompidos.

Da primeira, a interrupção foi para permitir que a temporada de tempestades na região passasse, durante o verão no hemisfério norte - entre junho e agosto. Na época, a equipe de remoção resolveu não correr riscos de ter o trabalho afetado pelas condições meteorológicas.

Já da segunda, os trabalhos foram adiados para que os funcionários se recuperassem de um surto de covid-19, que infectou 10 e colocou 50 das 100 pessoas da equipe em quarentena.

Para a desmontagem do MV Golden Ray, está sendo necessário realizar cortes em partes com o auxílio de uma espécie de motosserra enorme. A Hyundai Glovis informa que vai tentar salvar quantos veículos for possível, embora a maior parte deva ser transformada em sucata para reciclagem.

Quanto ao MV Golden Ray, após ser cortado em fatias, o barco será encaminhado a um estaleiro na Louisiana para ser reciclado ou eventualmente remontado.

Em março, depois da proa e da popa, as equipes estavam trabalhando com a seção 2 do navio. A fatia foi erguida com carros dentro, antes de ser colocada em uma balsa para ser levada para terra firme.

O navio guindaste VB 10.000 tem sido o responsável por remover o Golden Ray, que possui 200 metros de comprimento.

A demora para a extração do navio segue sendo uma preocupação para ambientalistas locais. Apesar de uma barreira ter sido feita em volta da embarcação e do fato de equipes estarem de prontidão para possíveis vazamentos de óleo, detritos como para-choques, pneus e outras peças de carro já foram encontrados nas praias.

Aves da região também já foram encontradas cobertas de óleo.

Notícias