PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Eleições locais e regionais da Venezuela serão realizadas em 21 de novembro

14/05/2021 03h45

Caracas, 13 mai (EFE).- As eleições locais e regionais da Venezuela serão realizadas no dia 21 de novembro, e a campanha eleitoral começará em 28 de outubro, informou nesta quinta-feira o presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), Pedro Calzadilla.

Em declarações à imprensa, Calzadilla disse que a convocação dessas eleições é "o resultado do empenho democrático de cada venezuelano com a participação ativa e esperançosa".

O atual CNE foi renovado em 4 de maio pela Assembleia Nacional (parlamento), na qual 92% dos assuntos são ocupados por governistas, e conta com três integrantes de perfil chavista e dois opositores.

Calzadilla comentou que a proposta de cronograma eleitoral foi apresentada pela Junta Nacional Eleitoral e aprovada posteriormente, e com unanimidade, pelo CNE.

A campanha para as eleições, nas quais também serão escolhidos os integrantes dos órgãos legislativos locais e regionais, terminará em 21 de novembro. Antes, entre 1º de junho e 15 de julho, os eleitores poderão inscrever ou atualizar os dados no registro eleitoral.

As candidaturas poderão ser apresentadas de 9 a 29 de agosto, e haverá um período para "modificações ou substituição das candidaturas" de 8 a 22 de setembro.

Em 26 de setembro, será feita uma simulação das eleições em nível nacional, algo habitual nos pleitos venezuelanos, e se organização "feriados eleitorais" para que os cidadãos "se familiarizem" com a votação, de 13 de outubro a 13 de novembro.

O presidente do CNE ressaltou que estas eleições têm "importância histórica" e que "o país entra em uma das mais importantes dinâmicas políticas".

"Em especial, neste momento inédito da história do país, no qual partidos e dirigentes da maioria dos setores da nossa nação se empenham ao máximo na construção de um acordo para garantir a estabilidade política e a possibilidade de colocar a Venezuela no caminho do desenvolvimento e da paz", analisou.

Calzadilla disse considerar o novo CNE "resultado desse diálogo nacional" e garantiu seu compromisso "de cumprir com esta responsabilidade".

Notícias