PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Cientistas criam máquina para recongelar água de calotas polares

Intuito da invenção é refrear o derretimento de calotas e prover trabalho para os nativos - iStock
Intuito da invenção é refrear o derretimento de calotas e prover trabalho para os nativos Imagem: iStock
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/05/2021 13h36

Cientistas do País de Gales criaram uma máquina de fabricação de gelo para repor calotas polares derretidas do Polo Norte. A ideia é que a máquina, movida a energia renovável, crie novas camadas de gelo marinho.

De acordo com o jornal britânico Daily Star, o protótipo foi desenvolvido por cientistas da Universidade de Bangor, que receberam apoio financeiro da empresa "Real Ice". O instrumento bombeará a água situada embaixo das calotas polares para um compartimento com temperatura de cerca de -50 °C. Lá, o líquido deverá transformar-se em gelo rapidamente.

"Um dos principais colaboradores para o aumento da temperatura do mar, que causa o derretimento do gelo polar, é o gelo mais fino, pois ele absorve mais calor ao invés de refleti-lo de volta", explicou Cian Sherwin, diretor geral da Real Ice.

"Se pudermos engrossar o gelo, o calor será refletido novamente e ajudará a prevenir a perda do gelo marinho polar", acrescentou.

O intuito é que nativos do Polo Norte sejam os donos das máquinas, mudando-as para novas áreas regularmente e fazendo as manutenções necessárias. Em troca, eles deverão ganhar créditos de carbono, que podem ser vendidos a empresas com o interesse de compensar o uso de combustível fóssil.

"O plano seria que os inuítes [indígenas locais] fossem empregados neste projeto", revelou Sherwin. "Suas comunidades estão literalmente derretendo à medida que a perda de seu modo de vida está causando problemas sociais, incluindo a perda de cultura e meios de subsistência e a migração de jovens para encontrar trabalho."

O protótipo mais recente é um modelo em pequena escala da máquina projetada para ter cinco metros de altura. Ela funciona sendo movida por uma turbina eólica de dez metros de diâmetro e equipada com uma broca central para perfurar o gelo e alcançar a água mar abaixo.

Antes de ser enviada para o Polo Norte, a invenção será testada em águas do norte do Canadá entre novembro deste ano até março do ano que vem, durante o fim de outono e o inverno da região.

Notícias