PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
15 dias

Homem procura polícia e confessa que envenenou cerveja da esposa

Homem procurou Polícia Civil de MG para detalhar envenenamento contra mulher, com mesma substância encontrada em cervejas da Backer - Polícia Civil de MG/Divulgação
Homem procurou Polícia Civil de MG para detalhar envenenamento contra mulher, com mesma substância encontrada em cervejas da Backer Imagem: Polícia Civil de MG/Divulgação
do UOL

Bruno Torquato

Colaboração para o UOL, em Betim (MG)

19/04/2021 22h25Atualizada em 20/04/2021 07h41

Um homem de 42 anos foi preso na noite de hoje pela Polícia Civil em Mateus Leme (MG), após procurar o hospital e a própria polícia para confessar ter envenenado a esposa, com quem é casado há 19 anos, misturando dietilenoglicol em uma cerveja.

De acordo com uma coletiva da PC, o suspeito está preso por tentativa de feminicídio e pode pegar de 12 a 30 anos de prisão.

Para ter acesso à substância, o homem disse ter acessado o site Mercado Livre, onde comprou o dietilenoglicol puro por aproximadamente R$35, vendido por uma empresa de São Paulo.

Caso seja provado que a venda foi ilegal, a Polícia Civil informou que a loja virtual também poderá ser responsabilizada.

Questionada, a delegada do caso, Lígia Mantovani, afirmou que o caso da cervejaria Backer pode ter sido uma fonte de inspiração do suspeito.

Desde 2019, dezenas de pessoas foram afetadas pela contaminação das bebidas da empresa. Pelo menos 10 delas morreram. Nas investigações, foi descoberto que o produto foi contaminado pelo dietilenoglicol no tanque em que era armazenado, em uma fábrica de Minas Gerais.

11 pessoas foram indiciadas no ano passado.

A delegada disse que o suspeito procurou o hospital, onde informou o veneno que tinha utilizado, e a Polícia Civil, onde mostrou a nota fiscal de compra e confessou o crime por problemas conjugais.

"Ele alega que o motivo do envenenamento era briga conjugais e traições que teriam acontecido no passado, além de problemas financeiros".

De acordo com a delegada Lígia, a compra do produto foi realizada em fevereiro e o suspeito misturou na cerveja no dia 11 de abril.

A vítima procurou atendimento médico cerca de dois dias depois e foi transferida para Contagem e, posteriormente, para um hospital em Belo Horizonte.

Ela segue internada na UTI em estado grave. Os nomes da unidade hospitalar e das partes envolvidas não foram divulgados. O casal tem dois filhos menores de 18 anos.

Notícias