PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

DF tem programa que dá R$ 250 para alimentação por 3 meses; veja regras

do UOL

Felipe de Souza

Colaboração para o UOL, em Campinas (SP)

14/04/2021 04h00

O programa Prato Cheio, criado no ano passado, dá direito a um cartão com auxílio de R$ 250 para compra de alimentos no Distrito Federal. O programa acabaria no mês passado (março). Porém, o governador do DF, Ibaneis Rocha, prorrogou os pagamentos mensais em três meses. Ou seja, o programa vale até junho.

As famílias devem passar por uma nova entrevista para verificar se ainda necessitam do auxílio. O agendamento deve ser feito no site da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) ou pelo telefone 156.

Mais de 30 mil famílias do Distrito Federal receberam o auxílio até o mês passado, segundo levantamento do governo do Distrito Federal.

Veja detalhes do benefício.

O que é?

É um auxílio emergencial concedido às famílias que tenham dificuldade de comprar, com regularidade, alimentos em quantidade e qualidade suficiente.

Qual o valor?

R$ 250 mensais por por três meses.

E o que acontece depois dos três meses?

Por enquanto, uma nova prorrogação ainda não foi aprovada. Caso seja estendido por mais três meses, haverá uma nova revalidação do cadastro, com entrevistas com as famílias para verificar se elas ainda necessitam da ajuda financeira.

Quem pode receber?

As regras para receber o benefício são:

- Morar no Distrito Federal
- Possuir renda familiar igual ou inferior a meio salário mínimo por pessoa da família
- Ter dificuldade para comprar comida suficiente com regularidade (insegurança alimentar)
- Estar inscrito no CadÚnico ou no Sistema Integrado de Desenvolvimento da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sids).

Qual a prioridade para recebimento do valor?

  • Famílias chefiadas por mães solteiras, com crianças de 0 a 6 anos;
  • Famílias com crianças de 0 a 6 anos;
  • Famílias com pessoas com deficiência;
  • Famílias com idosos acima dos 65 anos;
  • População moradora de rua, com Plano Individual de Acompanhamento (PIA).

Como saber se tenho direito?

Para agendar o atendimento o interessado deve acessar o site da Secretaria de Desenvolvimento Social. Assim que o atendimento for realizado pela equipe da Secretaria, o cadastro será avaliado, e a própria equipe entrará em contato com a família informando da aprovação ou não.

O beneficiário também poderá consultar se está incluso no programa por meio da central de atendimento (61 - 3029-8440) ou pelo aplicativo E-GDF. Também é possível consultar diretamente nos centros de referência de assistência social, ou por meio do site Renda Emergencial.

Não faço parte dos grupos que podem receber, mas estou com dificuldade para comprar comida. O que fazer?

A orientação é que o morador procure a unidade socioassistencial da região administrativa para passar por atendimento. Para saber quais são as unidades de cada região, é só acessar a página da Secretaria de Desenvolvimento Social.

Casos excepcionais serão avaliados pelos profissionais da assistência social, e o auxílio alimentar poderá ser concedido na forma de cesta básica.

Como receber?

O beneficiário terá direito a um cartão em seu nome, com o crédito. Todo mês, em geral na primeira semana, o valor é disponibilizado. No site Renda Emergencial é possível consultar onde pode ser feita a retirada do cartão.

Onde usar o cartão?

O cartão poderá ser utilizado nos estabelecimentos comerciais que vendem alimentos, tais como: hipermercados, supermercados, padarias, mercearias e restaurantes.

Perdi meu cartão. E agora?

Para adquirir a segunda via do cartão, é necessário entrar em contato com o Banco de Brasília, responsável pela emissão. No entanto, será cobrada uma taxa bancária de R$ 10 para a nova via, que será entregue em até 10 dias úteis. O cartão ficará disponível para retirada na agência próxima ao endereço residencial que o usuário informou no momento do cadastro.

Como fazer o agendamento para entrevista ou reanálise do benefício?

O atendimento é feito pelo site da Secretaria de Desenvolvimento Social ou pelo telefone 156, opção 1.

Notícias