PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Mourão revela que Forças Armadas ficarão na Amazônia até abril de 2021

Hamilton Mourão acredita que tem recursos para manter ações das Forças Armadas -
Hamilton Mourão acredita que tem recursos para manter ações das Forças Armadas
do UOL

Colaboração para o UOL

26/10/2020 10h38

As Forças Armadas continuarão na região da Amazônia Legal até abril de 2021. A informação foi revelada pelo vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), em entrevista coletiva hoje. Ele tem comandado as ações do Conselho Nacional da Amazônia.

As Forças Armadas ajudam no combate contra queimadas e fiscalização do desmatamento. Inicialmente essa operação ia durar só até julho. Mas foi prorrogada para o começo de novembro. E agora será esticada até abrir.

"[A operação] vai até abril, vamos prorrogar até abril. Nós estamos com recurso, e o recurso é suficiente para chegar até abril", comentou Mourão hoje.

O vice-presidente explicou que haverá um acerto com o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno. Segundo ele, foram alocados R$ 400 milhões para a operação, mas ainda há R$ 180 milhões.

A execução dos recursos dessa operação é lenta desde o lançamento, em maio deste ano. Nos primeiros dois meses, somente 3,8% do total planejado havia sido liberado. A maior parte dos recursos só foi autorizada efetivamente no orçamento em agosto.

Na semana passada, o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) alegou que estava sem recursos e por isso interrompeu a atuação das brigadas de combate a incêndios florestais. Depois houve um desbloqueio de recursos por parte do governo federal, então o Ibama retomou as atividades.

O prejuízo já está grande na Amazônia. De acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), as queimadas deste ano na região já ultrapassaram o total de 2019. Foram detectados 89.604 focos de calor nos 10 primeiros meses de 2020. No ano passado, foram detectados 89.176.

Notícias