PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Idosa presa por agredir namorada e racismo contra PM é funcionária pública

O momento em que Libânia Maria Dias Torres é presa, na Bahia - Reprodução/Twitter
O momento em que Libânia Maria Dias Torres é presa, na Bahia Imagem: Reprodução/Twitter
do UOL

Do UOL, em São Paulo

22/09/2020 08h23

Libânia Maria Dias Torres, a idosa cujo vídeo de prisão viralizou nas redes, é funcionária do TJ-BA (Tribunal de Justiça da Bahia), confirmou o órgão ontem. Na gravação que se espalhou pela web, Libânia é vista reagindo violentamente à prisão e chamando um policial militar negro de "macaco".

A idosa, que no momento do vídeo estava sendo detida por agredir a namorada, trabalha na comarca de Curaçá, cidade do norte da Bahia. O Tribunal não quis comentar sobre o caso policial contra a servidora.

O policial ofendido por Libânia já registrou queixa na delegacia, de modo que ela vai responder não só pelo crime de agressão, como também de injúria racial. Atualmente, ela aguarda julgamento em liberdade.

"Após o inquérito, nós vamos acionar o Ministério Público, já que se trata de uma ação pública. Importante salientar que a injúria racial acontece diariamente na nossa sociedade", explicou Marinho Soares, advogado do policial.

Notícias