PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Casa Branca e democratas do Congresso chegam a 4ª dia sem negociações sobre pacote fiscal contra coronavírus

11/08/2020 19h06

Por David Morgan

WASHINGTON (Reuters) - Um impasse entre a Casa Branca, de liderança republicana, e os democratas do Congresso sobre o projeto de lei para alívio ao impacto do coronavírus chegou ao quarto dia sem negociações nesta terça-feira, com cada partido culpando o outro pela intransigência.

A falta de progresso foi confirmada separadamente pelo líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, e pela presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi. Tanto republicanos quanto democratas apontaram o dedo um para o outro sobre alegações de ignorarem a gravidade da crise e se recusarem a fazer concessões em questões-chave, como seguro-desemprego e ajuda a governos estaduais e locais.

Pelosi e o líder democrata do Senado, Chuck Schumer, passaram quase duas semanas em conversas quase diárias com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, até que as negociações foram interrompidas na sexta-feira.

"Pelo que eu sei, o secretário do Tesouro e o chefe de gabinete não conversaram com a presidente da Câmara e o líder democrata hoje", disse McConnell à Fox News.

Pelosi, questionada se teve ou esperava qualquer comunicação com os dois negociadores da Casa Branca, balançou a cabeça e sussurrou um "não" a repórteres ao entrar em um elevador no Capitólio.

O impasse ocorre em meio ao crescente número de casos de coronavírus no país, que já registrou 5,1 milhões de infecções e mais de 163 mil mortes pela Covid-19.

McConnell e Schumer criticaram a abordagem um do outro em relação à ajuda fiscal de combate aos impactos do coronavírus na terça-feira.

McConnell acusou os democratas de atacar os norte-americanos que lutam contra as consequências econômicas da pandemia.

"Eles estão jogando duro contra crianças, trabalhadores, norte-americanos vulneráveis", disse McConnell no plenário do Senado.

Schumer retratou os republicanos como um partido em desordem, dizendo que o presidente Donald Trump deveria tentar quebrar o impasse.

"Muitos republicanos estão dizendo: 'Não faça nada - não faça nada'. Eles estão felizes que as negociações fracassaram. Nós, não", disse ele.

McConnell afirmou que os republicanos do Senado realizaram teleconferência de uma hora com Mnuchin e Meadows na terça pela manhã.

A ajuda aos governos estaduais e locais --prioridade democrata à qual os republicanos de forma geral resistem-- e os benefícios suplementares para milhões de trabalhadores desempregados pela pandemia são dois dos maiores pontos de conflito.

Trump no sábado assinou decretos visando contornar o Congresso e fornecer algum alívio na forma de adiamento de pagamento de empréstimos estudantis e pagamento de auxílio-desemprego, por exemplo.

Especialistas dizem que as ações de Trump farão pouco para impulsionar a economia, mesmo se ele puder superar questões jurídicas sobre sua decisão de contornar o Congresso.

Notícias