PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Cancelamentos de Boeing 737 Max chegam a quase 400 aeronaves em 2020

A Boeing perdeu 43 encomendas para seus aviões 737 MAX em julho - Lindsey Wasson/Reuters
A Boeing perdeu 43 encomendas para seus aviões 737 MAX em julho Imagem: Lindsey Wasson/Reuters

11/08/2020 12h38

A Boeing perdeu 43 encomendas para seus aviões 737 Max em julho, elevando o total de cancelamentos do jato este ano para 398, enquanto entregou apenas 4 de suas outras aeronaves a clientes, segundo dados mensais divulgados hoje.

Com base em um padrão de contabilidade mais rígido, a Boeing disse que os cancelamentos de pedidos agora estão em 857 para o Max, cuja recertificação ainda está em jogo mais de um ano após sua suspensão mundial por causa de dois acidentes fatais.

As quatro entregas - uma de cada um dos cargueiros 767 e 777 e dois 787 Dreamliners - representam uma queda em relação aos 19 aviões no ano anterior, elevando o total para 74 aeronaves até agora neste ano. A Boeing entregou um recorde de 806 aeronaves em todo o ano de 2018, antes do início da crise do 737 Max.

As companhias aéreas pagam a maior parte do preço de compra quando recebem a aeronave, então a falta de entregas é um impacto direto na receita do fabricante de aviões.

A Boeing não ganhou novos pedidos em julho e seus cancelamentos incluem 35 pedidos feitos anteriormente para o 737 Max pela AerCap Holdings e Alafco.

Os novos cancelamentos do 737 Max no mês passado foram da Canada Jetlines, de cinco pedidos, a Avolon descartou dois pedidos e um cliente de um jato executivo cancelou um pedido.

Além disso, a Boeing removeu nove aviões 737 Max de sua carteira de pedidos para ajustar os jatos encomendados em anos anteriores, mas com pouca probabilidade de entrega no momento.

Numa base ajustada, 52 aviões foram cancelados no mês passado, elevando a perda de pedidos para 836 no ano até julho. Os pedidos brutos da empresa, sem cancelamentos, somaram 59 aviões nos primeiros sete meses de 2020.

Notícias