PUBLICIDADE
Topo

Embraer avalia PDV para empregados em licença remunerada

Dois aviões Embraer 190 da Força Aérea Brasileira decolam da Ala 1 da Base Aérea de Brasília (DF) - Fatima Meira/Futura Press/Estadao Conteudo
Dois aviões Embraer 190 da Força Aérea Brasileira decolam da Ala 1 da Base Aérea de Brasília (DF) Imagem: Fatima Meira/Futura Press/Estadao Conteudo

Aluísio Alves

02/07/2020 14h07

A fabricante de aeronaves Embraer anunciou nesta quinta-feira que discute com sindicatos abrir um Programa de Demissão Voluntária (PDV) para empregados que estão em férias coletivas e que irá iniciar um período de licença remunerada.

O anúncio vem na esteira da crise aguda sofrida pela empresa brasileira, fruto dos efeitos econômicos da pandemia da covid-19, que levou várias companhias aéreas a adiarem ou suspenderem pedidos de aviões, além da desistência da Boeing para um acordo bilionário na área de aviação comercial.

Em comunicado, a companhia explicou que oferecerá para quem aderir ao PDV extensão do plano de saúde, auxílio-alimentação de 450 reais mensais, ambos por seis meses, apoio para buscar um novo emprego, além de indenização adicional do salário-base nominal por ano de empresa. Para quem optar pelo plano, a data de desligamento será em 20 de julho.

Recentemente, foi iniciado o processo de reintegração da unidade de aviação comercial com uma reestruturação para reduzir duplicidades de funções e recuperar sinergias. A empresa vem ainda buscando parcerias para desenvolvimento de novos produtos e negociando empréstimos para atender as necessidades de financiamento de exportações e de capital de giro.

Ainda não é possível prever como a crise irá evoluir, mas a companhia vai continuar realizando todos os esforços necessários para minimizar o impacto da Covid-19 para as pessoas e garantir a adequação necessária da empresa diante da nova realidade do mercado de transporte aéreo global.

Notícias