Topo

General venezuelano morre em queda de helicóptero da polícia

2019-04-25T22:00:00

25/04/2019 22h00

Caracas, 25 abr (EFE).- Pelo menos duas pessoas morreram nesta quinta-feira, entre elas um general da Guarda Nacional Bolivariana (GNB), devido à queda de um helicóptero da corporação com o qual sobrevoavam a cidade de Maracaibo, no noroeste da Venezuela, informou a imprensa local.

Apesar de autoridades civis, militares ou policiais venezuelanas ainda não terem se pronunciado sobre o episódio, o jornal "Panorama", de Maracaibo, informou que os dois mortos são o general Alfonso Torres Páez, da GNB, e o comissário Luis Urdaneta.

Torres Páez era o comandante da 11ª região da GNB e responsável pelo policiamento do estado de Zulia, na fronteira com a Colômbia e do qual Maracaibo é a capital.

Segundo o "Panorama", o outro falecido, o comissário Urdaneta, chegou a ser atendidos pelos médicos após o acidente, mas não resistiu aos ferimentos.

Urdaneta morreu pouco depois da queda do helicóptero, cuja causa não foi informada, que era propriedade da Polícia Municipal de San Francisco, cidade também situada em Zulia.

O jornal de Maracaibo também detalhou que o aparelho, um modelo Bell 206 Ranger de matrícula YV0224, caiu na praça de touros da capital da província.

Na queda, ficaram feridos outros dois militares, um deles o comandante da Zona Operacional de Defesa Integral (ZODI), general Dilio Rodríguez. Até o momento não se conhece a identidade do outro ferido.

Há dois anos, outro helicóptero venezuelano desapareceu com 13 pessoas a bordo - nove militares e quatro civis - no estado do Amazonas.

O helicóptero foi achado quatro meses depois durante a chamada Operação Esperança, o maior esforço de busca aérea da história do país, que, no entanto, terminou sem encontrar sobreviventes ou corpos de vítimas. EFE

Mais Notícias