Topo

Sobe para 64 o número de mortos em explosão em fábrica na China

2019-03-23T03:09:00

23/03/2019 03h09

Pequim, 23 mar (EFE).- O número de mortos como consequência de uma explosão em um complexo industrial no leste da China subiu para 64, enquanto que 21 pessoas estão internadas em situação crítica e 28 continuam desaparecidas, de acordo com informações divulgadas neste sábado pela agência estatal de notícias "Xinhua".

As autoridades de Yancheng, local do incidente, asseguraram que as equipes de resgate continuam trabalhando dia e noite para tentar localizar os desaparecidos e conseguiram resgatar uma pessoa na manhã de hoje.

Além disso, a explosão deixou 640 feridos, 94 deles gravemente, incluindo os 21 que permanecem em estado crítico.

Segundo a agência de notícias, "milhares de bombeiros e agentes da área de saúde, assim como centenas de ambulâncias e caminhões dos bombeiros" participam da operação de resgate.

O fato que aconteceu por volta das 14h48 (hora local) da última quinta-feira, após um incêndio em uma fábrica de pesticidas de propriedade da empresa Jiangsu Tianjiayi Chemical, cujos diretores estão sob custódia policial.

Testemunhas citados pelo jornal de Hong Kong "South China Morning Post" afirmaram que a explosão provocou "uma chuva de vidros" das janelas. Uma delas relatou que viu uma criança de 3 anos sair voando pela força do explosão.

O jornal afirmou que a empresa proprietária da fábrica tinha recebido seis sanções administrativas por violar a legislação de gestão de resíduos, impacto ambiental e poluição do ar.

As escolas e creches da área foram fechadas e cerca de 3 mil pessoas foram evacuadas, enquanto as autoridades estão monitorando a qualidade do ar e da água.

Dezenas de trabalhadores ficaram presos depois que alguns prédios desmoronaram devido à explosão.

As imagens divulgadas pela imprensa local mostram, em um primeiro momento, uma grande coluna de fumaça como resultado da explosão, enquanto outro vídeo publicado revela como a fábrica, e um edifício vizinho, voam pelos ares e dezenas de pessoas que estavam nos arredores conseguem escapar, muitas delas com ferimentos e cobertas de sangue.

Os acidentes são frequentes no setor industrial chinês, onde, apesar das novas iniciativas, as regulamentações permanecem frouxas.

No final de novembro do ano passado, pelo menos 22 pessoas morreram e outras 22 ficaram feridas em uma explosão perto de uma fábrica de produtos químicos na cidade de Zhangjiakou. EFE

Mais Notícias