PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Itália exigirá certificado de vacinação dos trabalhadores do país

15/09/2021 21h46

Roma, 15 set (EFE).- O governo da Itália obrigará os funcionários do setor público e privado a apresentar o certificado do recebimento de, pelo menos, uma dose de vacina contra a covid-19, em medida que deve ser avaliada nesta quinta-feira pelo Conselho de Ministro.

A informação foi divulgada pelo secretário-geral do sindicato UIL, Pierpaolo Bombardieri, após reunião de representantes das principais organizações trabalhistas do país com o primeiro-ministro, Mario Draghi.

Chamado de "passaporte verde" pelos italianos, o certificado válido em papel ou digital, mostra quem recebeu, ao menos, uma das doses de vacina contra a covid-19, teve a doença ou teve resultado negativo em teste contra o novo coronavírus nas 48 horas anteriores a apresentação.

No país, o comprovante já é exigido para o acesso aos restaurantes e bares, academias, museus, para viagens de trem e avião, entre outras situações.

No início de setembro, o premiê italiano e o ministro da Saúde, Roberto Speranza, chegaram a sinalizar a intenção de tornar a vacinação contra a covid-19 obrigatória, algo que o secretário geral do maior sindicato do país, o CGIL, Maurizio Landini, disse hoje não estar em debate.

"Como já havíamos dito antes, dissemos ao governo que o melhor caminho é aprovar um procedimento legislativo que obrigue a vacinação. Fomos informados que o que estão fazendo não prevê isso, por enquanto. Não excluem a possibilidade, mas não está previsto por agora", disse o sindicalista.

Landini, contudo, destacou que não pode haver possibilidade de os trabalhadores precisarem pagar para exercer as funções, ao se referir aos testes de detecção da covid-19, por isso, foi solicitada a gratuidade dos exames.

Atualmente, a Itália tem 74,6% da população com mais de 12 anos imunizada contra o novo coronavírus, segundo informações divulgadas pelo governo do país. EFE

lsc/bg

Notícias