PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Prejuízo da Lojas Americanas mais que triplica no 1º tri

Grupo de varejo Lojas Americanas viu seu prejuízo mais do que triplicar no 1º trimestre de 2021 - Wikimedia Commons
Grupo de varejo Lojas Americanas viu seu prejuízo mais do que triplicar no 1º trimestre de 2021 Imagem: Wikimedia Commons

Aluisio Alves

06/05/2021 20h36Atualizada em 06/05/2021 21h28

O grupo de varejo Lojas Americanas viu seu prejuízo mais do que triplicar no primeiro trimestre, já que despesas maiores com vendas e para expansão de seu braço financeiro Ame ofuscaram na última linha o forte crescimento das vendas.

A companhia dona da B2W informou nesta quinta-feira que teve prejuízo líquido de 163 milhões de reais nos primeiros três meses do ano, um salto de 231% em relação à perda apurada em igual etapa do ano passado.

Por um lado, as vendas brutas (GMV) subiram 52,8% ano a ano, para 11,1 bilhões de reais, alavancado pelo crescimento da plataforma digital liderada pela B2W, com a qual planeja uma reestruturação societária e a listagem da empresa em bolsa de valores nos Estados Unidos.

No trimestre, a receita líquida das Lojas Americanas somou 5,23 bilhões de reais, aumento de 29% sobre um ano antes. Porém, as despesas cresceram 50%, para 1,17 bilhão de reais, em meio a maiores gastos com vendas e de marketing da plataforma digital, além de investimentos na Ame.

A empresa foi ainda afetada pelo fato de 27% da área de vendas de suas lojas físicas ter ficado fechada devido às medidas de isolamento social.

O resultado operacional medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado encolheu 21,5% no comparativo anual, a 461,5 milhões de reais, com a margem Ebitda diminuindo 5,7 pontos percentuais, para 8,8%.

A companhia anunciou no mês passado a compra de 70% do grupo Uni.co, dono das marcas Imaginarium e Puket.

Notícias