PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Dilma Rousseff lamenta morte de Paulo Gustavo: 'Alma generosa'

Dilma Rousseff lamentou a morte de Paulo Gustavo - Reprodução/Twitter
Dilma Rousseff lamentou a morte de Paulo Gustavo Imagem: Reprodução/Twitter
do UOL

Colaboração para o UOL

05/05/2021 11h34

Políticos, artistas e anônimos têm se juntado em luto e solidariedade após a morte do humorista Paulo Gustavo, de 42 anos. O ator é lembrado por sua contribuição para a cultura nacional e foi mais uma vítima de complicações da covid-19.

No Twitter, a ex-presidente Dilma Rousseff lamentou a perda. "É com imenso pesar que recebo agora pela manhã a notícia da morte de Paulo Gustavo. O Brasil perde um ator extraordinário, um humorista popular que alegrou a todos nós e encheu o país de risadas e amor", escreveu.

Dilma se comoveu também com a pandemia e os fãs de Paulo. "Era um artista de alma generosa e genuinamente comprometida com o povo do nosso país", disse. A ex-presidente comunicou seus sentimentos para a família do artista.

"Deixo meu respeito e a certeza de que sua lembrança permanecerá para sempre na memória afetiva do povo", falou após se dizer fã do humorista. "Sua estrela agora brilha mais firme no firmamento da dramaturgia nacional. Viva Paulo Gustavo", completou.

Além da mãe e a irmã, Paulo Gustavo deixa o marido, o médico Thales Bretas, e dois filhos, Gael e Romeu. O ator foi internado com covid-19 no dia 13 de março e intubado 8 dias depois. Em abril, o artista apresentou piora e chegou a um estado crítico, especialmente por complicações respiratórias.

Na segunda-feira de manhã, Paulo tinha acordado e interagido com o marido, informaram os médicos. Porém, mais tarde, o ator teve uma embolia súbita que atingiu o sistema nervoso. Ontem, os médicos informaram que o quadro era irreversível.

Veja fotos do humorista e ator Paulo Gustavo

Carreira

Paulo Gustavo começou a carreira no teatro e se formou na CAL (Casa de Artes Laranjeiras). Teve destaque em 2004 quando apresentou sua personagem que se tornaria icônica, Dona Hermínia, inspirada na mãe dele.

O ator participou de novelas e ficou mais conhecido ao interpretar Renée na minissérie Divã, da Globo, em 2016. Com isso, Paulo iniciou o trabalho na série 220 Volts, no Multishow, e embarcou no mundo do cinema.

O recorde de filme que mais faturou em bilheteria na história do cinema nacional é dele. Minha Mãe É uma Peça 3 levou mais de 11,5 milhões de espectadores às salas do país e rendeu mais de R$ 180 milhões.

Notícias