PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Ataque com faca deixa feridos na Suécia; polícia fala em suposto terrorismo

Polícia no local onde um homem atacou pessoas com uma faca na Suécia - Mikael FRITZON /AFP
Polícia no local onde um homem atacou pessoas com uma faca na Suécia Imagem: Mikael FRITZON /AFP
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo*

03/03/2021 16h28Atualizada em 04/03/2021 07h47

Sete pessoas foram esfaqueadas e feridas no centro de Vetlanda, na Suécia, nesta quarta-feira (3), em um ato classificado pelas autoridades locais como "um atentado terrorista".

Inicialmente, as autoridades haviam divulgado que oito pessoas tinham ficado feridas, mas o balanço foi revisado. "O número de feridos pelo suposto agressor é sete. Informações anteriores citavam oito feridos", afirmou a polícia em um comunicado.

O ataque ocorreu por volta das 15h (horário local), quando a polícia foi acionada para atender um chamado em Bangardsgatan com "várias pessoas" atingidas.

As vítimas foram levadas para o hospital da região e "alguns estão gravemente feridos e alguns estão levemente feridos, mas nenhum morreu", informou a porta-voz da polícia, Angelica Israelsson Silfver ao "Aftonbladet".

O autor do crime é um homem de cerca de 20 anos, que foi neutralizado por agentes e levado ao hospital.

As autoridades iniciaram uma investigação sobre o incidente como uma possível tentativa de homicídio, já que aparentemente o criminoso atuou sozinho, mas depois alteraram para suspeita de crime terrorista.

Como medida de precaução, a polícia isolou o local, interrompeu o tráfego de trens e determinou o fechamento de lojas nas proximidades.

Investigação

Durante coletiva, a chefe da polícia local, Malena Grann, afirmou que ainda não pode dar muito detalhes do ocorrido e que as autoridades estão trabalhando fortemente para investigar o ataque. Grann disse ainda que a polícia pretende interrogar pessoas que estiveram no local.

"Essa também é uma das razões pelas quais não podemos fornecer muitos detalhes no momento", explicou.

O primeiro-ministro da Suécia, Stefan Löfven, condenou o ataque e disse que o país deve "responder essas ações terríveis com a força coletiva da sociedade".

"Somos lembrados de como nossa existência segura é frágil. Quero pedir a todos que enviem seus pensamentos às pessoas afetadas pela violência e aos homens e mulheres que trabalham na saúde, na polícia e no município que estão cuidando dos feridos e restabelecendo a segurança", disse em Löfvenn em comunicado

(Com ANSA e AFP)

Notícias