PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Fisioterapeuta que caiu do 3º andar após sonambulismo é transferida para MT

A fisioterapeuta Talyssa Taques, de 27 anos, teve uma crise de sonambulismo, segundo familiares - Reprodução/Facebook
A fisioterapeuta Talyssa Taques, de 27 anos, teve uma crise de sonambulismo, segundo familiares Imagem: Reprodução/Facebook
do UOL

Naian Lopes

Colaboração ao UOL, em Pereira Barreto (SP)

28/02/2021 20h05

A fisioterapeuta Talyssa Oliveira, 27, foi transferida de avião hoje do Rio de Janeiro para Cuiabá (MT). Ela ficou conhecida por ter caído do terceiro andar de um hotel após sofrer uma crise de sonambulismo.

A mulher estava no Hospital Israelita Albert Sabin, em Copacabana, porque não havia vagas nos hospitais públicos da capital do Mato Grosso, terra natal dela e da família.

A despesa da unidade carioca já havia ultrapassado os R$ 20.000 e, para poder quitar a dívida com o hospital e fazer a transferência de uma cidade para a outra - o custo do transporte era de, aproximadamente, R$ 90.000 - a família criou uma vaquinha online com meta de R$ 31.000 e a campanha foi encerrada com arrecadação de R$ 31.655,00 e 401 apoiadores.

Para que acontecesse a saída do Rio para o Cuiabá, o transporte aéreo deveria ser através de uma UTI móvel, segundo orientação médica, porque Talyssa não tinha condições de ser transportada por um avião convencional de viagem.

Talyssa se recupera de uma cirurgia na coluna por conta de uma fratura que teve na queda. Desde o acidente, a jovem não consegue andar e a fisioterapeuta estava internada há mais de duas semanas no hospital.

O acidente aconteceu em 5 de fevereiro. Talyssa mora em Cuiabá e passava um final de semana no Rio, junto com os pais e irmãos, quando teve uma crise de sonambulismo e caiu do 3° andar do hotel.

No dia 22, a mãe da fisioterapeuta, Angélica Oliveira, afirmou ao UOL que a filha trabalha como coordenadora da UTI no Hospital São Mateus e em um pronto-socorro de Cuiabá. As unidades são referência de atendimento a covid-19.

A jovem teria tido crise de sonambulismo apenas na infância e a família acredita que o novo episódio aconteceu por causa do cansaço do trabalho.

"Ela já teve uma crise (de sonambulismo) quando criança e teve convulsões até uns 12 anos de idade. Depois melhorou muito. Ela nunca mais teve. Só que lá em Cuiabá está muito cheio de casos de covid. Ela é coordenadora de UTI e é muita responsabilidade. Ela vinha nessa exaustão de trabalho. Não tem como culpar ninguém, aconteceu", disse Angélica.

O acidente aconteceu de madrugada, depois de Talyssa ter saído para um quiosque próximo ao Olinda Rio Hotel com uma amiga. A fisioterapeuta dormiu e, durante a crise, foi até a janela que dá para uma área de serviço do hotel, onde caiu.

"Ela fraturou uma vértebra e rompeu dois ligamentos do tórax. Ela se encontra na UTI para recuperação. Ela está estável e ela com dreno no pulmão, em recuperação. Foram feitas duas cirurgias, no tórax e na coluna", explicou a mãe da jovem.

Notícias