PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

SP lança 'vacinômetro' online para acompanhar número de vacinados

"Vacinômetro" já estava presente no Hospital das Clínicas, em São Paulo, no dia que marcou o início da vacinação contra a covid-19 no Brasil - Divulgação
"Vacinômetro" já estava presente no Hospital das Clínicas, em São Paulo, no dia que marcou o início da vacinação contra a covid-19 no Brasil Imagem: Divulgação
do UOL

Do UOL, em São Paulo

19/01/2021 13h03

O governo de São Paulo lançou hoje a versão online do "vacinômetro", sistema que permite acompanhar em tempo real o número de vacinados contra a covid-19 no estado. Anteontem, quando o governador João Doria (PSDB) promoveu o início da vacinação com a CoronaVac, o marcador já estava presente no Hospital das Clínicas, na capital, onde a primeira pessoa foi vacinada no Brasil.

Agora, o contador está disponível também na internet, no site do governo paulista. Até as 13h02 de hoje, o número era de 4.839 vacinados contra a doença causada pelo novo coronavírus em São Paulo. O sistema promete contabilizar os dados dos 645 municípios paulistas e também fornecer essas informações ao Ministério da Saúde.

Segundo o governo paulista, que pretende vacinar nos próximos dias 60 mil profissionais de saúde de hospitais de referência do estado, o "vacinômetro" será alimentado com informações da plataforma digital Vacivida. Desenvolvida pela Prodesp (Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo), ela será responsável também por abrigar o cadastro e controle das pessoas vacinadas.

vac - Reprodução - Reprodução
"Vacinômetro" marcava quase 5 mil pessoas vacinadas até no início da tarde de hoje
Imagem: Reprodução

Ainda no domingo (17), dia em que a CoronaVac teve o pedido de uso emergencial aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a gestão de Doria anunciou o lançamento do site "Vacina Já", que permite um pré-cadastro para pessoas que pertencem aos primeiros grupos prioritários da vacinação.

Neste primeiro momento, são aceitos cadastros apenas de profissionais da saúde e grupos indígenas e quilombolas. Estes últimos, inclusive, foram incluídos a mando de Doria após sumirem do plano. Apesar de não ser necessário, o pré-cadastro visa dar mais agilidade à campanha e evitar aglomerações nos locais de vacinação.

Além de servir para controle da aplicação das primeiras doses e notificação de possíveis eventos adversos da vacina, o sistema de cadastro também promete enviar um lembrete às pessoas sobre a data de aplicação da segunda dose.

Segundo o governo paulista, as pessoas vacinadas receberão um comprovante com um QR Code no verso. Este código direcionará para o aplicativo Poupatempo Digital, que é integrado ao Vacivida e dará acesso a um documento digital para comprovar a participação na campanha de vacinação.

Calendário indefinido

Por enquanto, a vacinação em São Paulo segue sem uma definição sobre a continuidade do calendário da campanha dos grupos prioritários, que ainda vão incluir na primeira etapa idosos de todas as faixas etárias. Até o momento, o governo estadual afirma estar vacinando, além de trabalhadores da saúde, indígenas e quilombolas, também idosos com mais de 60 anos e pessoas com deficiência vivendo em instituições de longa permanência.

Ontem, a Secretaria de Saúde paulista afirmou que o estado seguirá o plano nacional de vacinação, que ainda não tem datas definidas para cada fase dos grupos prioritários. Anteriormente, São Paulo tinha um plano estadual de imunização, que ocorreria de 25 de janeiro a 28 de março, mas Doria decidiu antecipar o início da campanha.

Também ainda não há definição sobre o prazo para a aplicação da segunda dose, que era de 21 dias após a primeira aplicação no plano estadual. Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde paulista, disse ontem que o PNI (Programa Nacional de Imunização) deve recomendar um intervalo maior, de 28 dias.

Notícias