PUBLICIDADE
Topo

Kanye West rompe com Trump e promete vencer eleição presidencial nos EUA

08/07/2020 12h01

(Reuters) - O rapper Kanye West assinalou que não apoia mais o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e disse que entrará na corrida presidencial para vencê-la, de acordo com uma entrevista publicada nesta quarta-feira.

West, antes um apoiador explícito de Trump, anunciou no sábado que concorrerá à presidência neste ano. Ele e sua esposa e estrela de reality show, Kim Kardashian West, visitaram Trump na Casa Branca.

"Estou tirando o boné agora, nesta entrevista", disse West à revista Forbes, referindo-se ao característico boné vermelho de Trump com os dizeres "Torne a América Grande Novamente".

"Como tudo que fiz na vida, estou fazendo (isto) para vencer."

Ele disse que concorrerá sob uma nova sigla, o Partido do Aniversário.

Não existe registro de documentos oficiais do artista na Comissão Eleitoral Federal. O prazo para se acrescentar candidatos independentes nas cédulas já passou em muitos Estados.

West negou que sua intenção seja dividir o voto negro e diminuir as chances do oponente democrata de Trump, Joe Biden. É "uma forma de racismo e supremacia branca" insinuar que todos os negros deveriam apoiar os democratas, disse.

Trump, que recebeu Kanye West em uma visita muito divulgada no Salão Oval em 2018, disse que a candidatura do rapper "seria um grande ensaio preparatório" e que ele tem uma "voz verdadeira", de acordo com uma entrevista concedida na terça-feira ao site de notícias Real Clear Politics.

O porta-voz da Casa Branca, Hogan Gidley, classificou o anúncio de Kanye West nesta quarta-feira como "uma recriminação contundente ao Partido Democrata, não somente suas políticas sobre o aborto, o Planned Parenthood, mas também as políticas que afetaram os afro-americanos desproporcionalmente de maneira negativa". O Planned Parenthood oferece cuidados de saúde reprodutiva e educação, a maior parte cuidados preventivos.

West disse à Forbes que acredita que "Planned Parenthoods foram colocados por supremacistas brancos dentro de cidades para fazerem o trabalho do diabo".

O rapper também disse que em fevereiro adoeceu com a Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, e que suspeitaria de qualquer vacina desenvolvida para evitar a infecção.

Reiterando teorias falsas que ligam vacinas a problemas de desenvolvimento infantil, ele disse: "Então, quando eles dizem que a maneira de resolvermos a Covid é uma vacina, fico extremamente desconfiado".

(Por Kanishka Singh em Bengaluru)

Notícias