Topo

Pesquisadores registram corais sufocados por óleo em maior área protegida

Óleo recobre corais na APA (Área de Proteção Ambiental) Costa dos Corais, em Japaratinga (AL) - Ricardo J. Miranda
Óleo recobre corais na APA (Área de Proteção Ambiental) Costa dos Corais, em Japaratinga (AL) Imagem: Ricardo J. Miranda
do UOL

Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL, em Maceió

22/11/2019 04h00Atualizada em 22/11/2019 10h59

Resumo da notícia

  • Pesquisadores em Alagoas registraram corais sufocados por óleo
  • Contaminação foi registrada na APA Costa dos Corais, entre Alagoas e Pernambuco
  • É a maior unidade de conservação federal costeira do Brasil

Pesquisadores da Ufal (Universidade Federal de Alagoas) descobriram e fotografaram, pela primeira vez, óleo recobrindo e sufocando os corais na APA (Área de Proteção Ambiental) Costa dos Corais. O material está descrito em um artigo já produzido e que deve ser publicado em uma revista científica internacional em breve.

As fotos foram feitas no dia 17 de outubro. Os corais estão sendo monitorados durante o mês de novembro para avaliar se sobreviveram ou não e investigar os impactos de forma mais detalhada.

Com mais de 400 mil hectares, a APA é a maior unidade de conservação federal marinha costeira do Brasil, ocupando uma faixa de 120 km de praia e mangues entre Alagoas e Pernambuco. O local é frequentemente visitado por turistas por conta das piscinas naturais que se formam na região.

Coral recoberto de óleo - Ricardo J. Miranda
Coral recoberto de óleo
Imagem: Ricardo J. Miranda
A descoberta foi feita pelo PELD (Projeto Ecológico de Longa Duração) Costa dos Corais, no mar Japaratinga (litoral norte de Alagoas). "Fizemos mergulhos e achamos registros de algumas colônias recobertas de óleo, sufocando alguns corais", afirma o coordenador de campo do projeto, Ricardo Miranda.

A pesquisa ainda está em andamento, mas o resultado inicial já chamou a atenção dos pesquisadores pelo grande dano ambiental que pode causar. "Sufocamento, como no senso comum, é quando você não consegue mais respirar e pode morrer, a depender do tempo que fica sem ar. Eles também precisam respirar, fazer a troca gasosa", explica.

Ricardo J. Miranda
Imagem: Ricardo J. Miranda
"Os impactos agudos ocorrem como resultado do contato direto com o óleo bruto a curto prazo, como o sufocamento por exemplo. Os impactos crônicos ocorrem a mais longo prazo, como efeitos no crescimento, na reprodução [gerando larvas com deformação] etc.", diz.

O pesquisador afirma que o local contaminado ainda é considerado pequeno, mas é capaz de causar um grande dano ambiental. "Mesmo sendo achado apenas em pequena escala, isso representa um impacto grande sobre as espécies e consequentemente pro turismo e para os pescadores", finaliza.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado no terceiro parágrafo, Japaratinga fica no litoral norte de Alagoas, e não no litoral sul. O texto foi corrigido.

Notícias