Topo

Ibovespa fecha em alta, mas tem 2ª semana seguida no vermelho

14/11/2019 18h05

Por Peter Frontini

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa reduziu as perdas da semana com uma tímida alta nesta quinta-feira, com balanços trimestrais ditando o ritmo dos negócios e papéis de Petrobras impedindo um avanço maior.

O Ibovespa subiu 0,47%, a 106.556,88 pontos, mas recuou 1% na semana, a segunda seguida no vermelho. O giro financeiro da sessão somou 17,96 bilhões de reais.

A agência de classificação de risco Fitch reafirmou a nota de crédito soberano do Brasil em "BB-", com perspectiva estável, e ponderou que uma melhora segue limitada por fatores como elevado endividamento público, rígida estrutura fiscal e um Congresso "fragmentado".

Na visão da agência, o cenário político dificulta o progresso oportuno das reformas fiscais e econômicas.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que está empenhado em realizar reformas necessárias ao país, durante cúpula dos Brics.

Na mais recente notícia do embate comercial entre as duas maiores economias do mundo, a alfândega da China informou nesta quinta-feira que suspendeu restrições à importação de carne de aves dos Estados Unidos, com efeito imediato. Mas no final do dia, o secretário de Justiça dos Estados Unidos, William Barr, afirmou que Huawei Technologies e ZTE Corp "não são confiáveis" e classificou as companhias chinesas como um risco à segurança.

DESTAQUES

- VIA VAREJO ON avançou 8,26%. A varejista teve prejuízo operacional líquido de 244 milhões de reais no terceiro trimestre, mas executivos afirmaram que a empresa está bem posicionada para recuperar participação de mercado à medida que acelera vendas no período de maiores vendas no ano.

- JBS ON perdeu 2,56%. A processadora de carne divulgou pela manhã lucro líquido de 356,7 milhões de reais para o terceiro trimestre, e informou que pode pagar dividendos extraordinários no longo prazo.

- MAGAZINE LUIZA ON subiu 4,12%, em sessão de ajustes após a forte queda da véspera. B2W GLOBAL ON ganhou 4,27%.

-PETROBRAS PN e ON caíram 2% e 2,1%, respectivamente, exercendo peso negativo sobre o índice. Nos EUA, os contratos futuros do petróleo eram negociados em queda.

- ITAÚ UNIBANCO PN subiu 0,65%, enquanto BRADESCO PN recuou 0,42% e SANTANDER BR UNT avançou 1,9%.

- MRV ON caiu 3,7%, marcando sua oitava sessão seguida de baixa. As ações da empresa acumulam desvalorização de 7,85% nos sete pregões anteriores.

- BR MALLS ON ganhou 4,57%, com a empresa informando que vê tendência de continuidade na demanda dos consumidores nos próximos trimestres, após reportar lucro ajustado 51% maior no 3º tri.

-BRASKEM PNA despencou 5,5%. A empresa, que divulga balanço ainda nesta noite, havia acumulado alta de mais de 10% neste mês até a sessão da véspera.

- VIVARA NM subiu 3,8%, após seu primeiro balanço trimestral como companhia listada. A rede de joalherias teve lucro líquido ajustado de 43 milhões de reais no terceiro trimestre, crescimento de 8,2% na comparação anual.

Notícias