Topo

Supremo da Austrália julgará cardeal condenado por pedofilia

12/11/2019 21h50

CANBERRA, 12 NOV (ANSA) - A Alta Corte da Austrália, principal tribunal do país, admitiu nesta quarta-feira (13) um recurso apresentado pelo cardeal George Pell, condenado a seis anos de prisão por pedofilia.   

O prelado de 78 anos já foi julgado em duas instâncias e tenta agora sua última cartada para se livrar da cadeia. Ex-prefeito da poderosa Secretaria de Economia do Vaticano, Pell é o mais alto membro da hierarquia católica sentenciado por abusos sexuais contra menores de idade e cumpre pena em regime fechado.   

O cardeal foi condenado por ter violentado dois coroinhas de 13 anos na década de 1990, quando era arcebispo de Melbourne.   

Segundo uma das vítimas - a outra morreu em 2014 -, Pell expôs suas partes íntimas e forçou a prática de sexo oral e masturbação. O prelado diz ser inocente.   

Além de prefeito da Secretaria de Economia, o australiano era membro do conselho de cardeais convocado pelo papa Francisco para reformar a Cúria e aliado próximo do Pontífice argentino. O julgamento de Pell na Alta Corte deve ocorrer somente em 2020.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Notícias