Topo

Índice de evolução da produção industrial cai a 48,8 pontos em setembro, diz CNI

Brasília

22/10/2019 12h21

A atividade industrial de setembro caiu em relação a agosto e a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) continua estável, segundo mostra o levantamento Sondagem Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgado na manhã desta terça-feira, 22. De acordo com os dados, em agosto o índice de evolução da produção estava em 51,4 pontos e passou para 48,8 pontos em setembro. Já UCI se manteve inalterada de um mês para outro, em 69%.

Apesar do resultado fraco, a CNI vê "continuidade na melhora gradual da atividade do setor". Segundo a entidade, a queda na atividade em setembro se deu por causa da sazonalidade. "Essa queda da produção é comum para o mês", diz o estudo. "É importante destacar que, apesar da queda, o índice de setembro encontra-se em seu melhor nível para o mês desde 2014, o que demonstra que o resultado foi sazonal e menos negativo do que nos últimos anos", acrescenta.

Em setembro de 2018, o índice estava em 47,2 pontos.

A avaliação de que a melhora é continuada tem como principal indicação, segundo a CNI, a redução das reclamações do empresariado da falta de demanda interna. Na edição anterior, as reclamações sobre esse ponto vinham de 41,1% dos entrevistados pela Sondagem e agora, de 34,6%. A falta de demanda aparece como o segundo maior problema enfrentado pelo setor, numa lista de 18 dificuldades. O maior de todos os problemas continua sendo a alta carga tributária, com 44,7% das reclamações em setembro. O índice cresceu 2,3 pontos em relação ao trimestre anterior.

De acordo com a CNI, uma leve indicação de melhora das condições financeiras também pode ser considerada como um sinal de que a indústria vem se recuperando aos poucos. O índice de satisfação com o lucro operacional ficou em 42,3 pontos, um aumento de 2,2 pontos frente ao trimestre anterior, enquanto o índice de satisfação com a situação financeira registrou 47,2 pontos, alta de 1,5 ponto. "Nesse último caso, é o melhor valor para o índice nos últimos três anos, com a exceção do quarto trimestre de 2017".

Quanto à confiança do setor, a Sondagem indica perspectivas positivas para os próximos seis meses. Os índices de expectativa quanto a demanda, matéria-prima e empregados sofreram pequenas oscilações para baixo, mas todos permanecem acima dos 50 pontos, o que significa otimismo. O único índice que cresceu foi o de quantidade exportada, saindo de 52,2 pontos para 52,5 pontos.

A Sondagem Industrial de setembro consultou 1.962 empresas no período de 1º a 11 de outubro.

Notícias