Topo

Deltan não descarta candidatura e diz que Lava Jato sangra e atrai tubarões

O procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba - Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
O procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
do UOL

Do UOL, em São Paulo

14/09/2019 17h15

O coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, declarou em entrevista para o jornal Correio Braziliense que a recente difusão de informações que ele considera falsas fez a operação "sangrar", atraindo críticas de "tubarões" que antes eram alvo de investigações. O procurador também não descartou se candidatar para disputar eleições no futuro.

Deltan disse que a força-tarefa jamais ultrapassou a "linha da lei e da ética" e que, para ele, é um "sucesso", porque o Brasil era o "país da impunidade para o colarinho branco".

"É claro que isso desagrada interesses ligados a essas pessoas, que têm aliados em todos os setores, como órgãos públicos, empresas e até na mídia. A recente difusão de acusações falsas fez a operação sangrar. E aí vêm os tubarões. Pessoas antes inibidas pela Lava Jato hoje a atacam abertamente", afirmou.

O procurador disse que começou a pensar em virar candidato porque muitas pessoas o incentivaram. Mesmo sem descartar uma futura candidatura, no momento ele decidiu que tem "mais a contribuir como procurador".

"O futuro a Deus pertence. Hoje, me mantenho integralmente focado em fazer o melhor que posso na Lava Jato", disse Deltan, que afirmou não ter tido nenhuma conversa com legendas ou políticos para discutir o assunto.

Mais Notícias