Topo

Trump reconhece que não há acordo no G7 sobre retorno da Rússia

25/08/2019 10h03

Biarritz (França), 25 ago (EFE).- Os líderes do G7 continuam divididos sobre o retorno da Rússia ao grupo, conforme reconheceu neste domingo o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, principal incentivador da ideia dentro do fórum.

"Tivemos uma discussão sobre a Rússia (no jantar de líderes do G7 de ontem à noite para decidir) se convidaremos outra vez ou não", disse Trump em pronunciamento ao lado do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, durante a cúpula realizada em Biarritz, na França.

A Rússia foi excluída do até então chamado G8 após a invasão e anexação da península da Crimeia, pertencente ao território da Ucrânia, em 2014.

No G7, segundo Trump, há "algumas pessoas que gostariam de ver a Rússia outra vez".

"Acredito que seria vantajoso para muitas coisas no mundo. Acredito que seria positivo", frisou.

Poucas horas antes, Trump tinha se mostrado mais otimista sobre um hipotético retorno da Rússia para a cúpula do próximo ano, que será realizada justamente nos Estados Unidos. Depois de se reunir com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, o presidente americano disse que o retorno da Rússia ao G7 em 2020 era "certamente possível".

O presidente da França e anfitrião da atual cúpula, Emmanuel Macron, reuniu-se na última segunda-feira, em Paris, com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, com o objetivo de não mantê-la afastada do diálogo multilateral, mesmo se ela permanecer fora do G7. EFE

Mais Notícias