Topo

Entramos no Taycan, o primeiro Porsche elétrico

Porsche
Imagem: Porsche
do UOL

Ricardo Ribeiro

Colaboração para UOL Carros, de Dusseldorf (Alemanha)

22/08/2019 21h43

Resumo da notícia

  • Elementos clássicos foram reinterpretados para era digital
  • Painel do 911 de 1963 foi inspiração
  • Esportivo pode ter até quatro telas digitais
  • Modelo será apresentado em setembro

O primeiro modelo totalmente elétrico da história da Porsche chega no próximo mês. UOL Carros embarcou no Taycan e conta os detalhes do veículo que tem uma meta ambiciosa: ser um esportivo único no mercado.

A reportagem integrou um grupo seleto de jornalistas, que acompanhou sessões sobre a mecânica e o interior do Taycan, há cerca de um mês. Além do contato com partes do veículo nas demonstrações, embarcamos em unidades pré-série parcialmente camufladas para breves voltas na pista de teste, mas ainda de carona com pilotos da marca.

Assumimos o compromisso de revelar as informações técnicas apenas em 4 de setembro, pouco antes da apresentação oficial do modelo, que também será acompanhada por UOL Carros. Mas as nossas impressões sobre a cabine e o acabamento podem ser publicadas hoje, quando a Porsche divulga as primeiras fotos e informações do interior do Taycan.

Tradição e futuro

Elementos clássicos do design tão tradicional e marcante da Porsche foram reinterpretados e trazidos para a era digital. O quadro de instrumentos do 911 original, de 1963, foi a grande fonte de inspiração, mas com o objetivo de trazê-lo para o presente.

A cabine do Taycan consegue combinar com harmonia esses elementos típicos da marca e as demandas de uma nova experiência de usuário, com as informações próprias da eletrificação, sistemas de assistência e toda a conectividade de um modelo 2020.

"Passar para o futuro sem esquecer as raízes", resume a UOL Carros Gantimur Meissner, diretor de design de experiência e inteligência do usuário da Porsche.

Porsche
Imagem: Porsche
Por dentro do Taycan

O Taycan tem três telas digitais e uma quarta como opcional. A primeira é o quadro de instrumentos, uma tela curva de 16,8", customizável e flutuante (sem a borda na parte de cima).

No modo Classic, o quadro exibe os típicos instrumentos arredondados, mas com um medidor de energia da bateria no lugar do conta-giros. Outras opções colocam o mapa e as indicações do sistema de navegação, parcialmente ou ocupando todo o quadro.

Já o modo Pure exibe apenas informações essenciais de condução, como velocidade e indicações do GPS só com setas. É ideal para reduzir a distração em velocidades elevadas. Pequenos campos sensíveis ao toque nas bordas permitem operar funções de iluminação e de chassi.

Na parte central, há uma tela sensível ao toque de 10,9" para controlar o sistemas multimídia e de navegação, assim como acessar informações e configurações da parte mecânica e serviços da marca. Como opcional, é oferecida uma segunda tela de 10,9" para o passageiro, que é integrada como uma peça única.

Uma outra tela no console, de 8,4" e também sensível ao toque, permite controlar o fluxo das entradas de ar-condicionado em uma reprodução virtual da cabine ou escrever com os dedos comando rápidos dos sistemas de bordo. A área também exibe informações do veículo.

Meissner explica que os comandos foram simplificados e toda a visualização gráfica foi reduzida para evitar que o motorista tenha distrações. "É um carro para conduzir. O sistema foi desenvolvido para o motorista captar com rapidez as informações e corrigir depressa", diz.

As telas usam padrão preto, branco e cinza. Também há comandos de voz, ativados com "Hey Porsche". Lembra o "Hey Mercedes", mas não é como o MBUX, que estreou no Classe A. O do Taycan tem comando curtos, mas responde a um conjunto de frases definidas, sem uma base de inteligência artificial que vai evoluindo. Segundo Meissner, não é adequado a um esportivo um sistema muito conversador ou um tipo de concierge.

Sem câmbio, a parte central fica livre de alavanca, o que permite posicionar a tela de controle mais para baixo, facilitando a operação. Também sobra espaço para porta-objetos adicionais. Há luzes de ambiente nas portas, no contorno dos porta-objetos e na área dos pés.

Esportividade

As seções superior e inferior do painel se estendem por toda a largura do veículo na forma de uma asa. O console central elevado intensifica a sensação de uma posição de guiar esportiva, bem rebaixada. Mostradores e linhas do console têm orientação para o motorista, buscando parecer um cockpit de competição.

O volante é o mesmo da nova geração do 911, mas sem as aletas para trocas manuais, uma vez que elétricos não têm marcha. Com não pode faltar em um Porsche, a ingnição é do lado esquerdo, ainda que seja apenas um botão - a chave é identificada por sensor de presença.

Porsche
Imagem: Porsche
Acabamento ecológico e personalização

O Taycan oferece uma ampla combinação de acabamento interno. As cores Black-Lime Beige, Blackberry, Atacama Beige e Meranti Brown na cabine são exclusivas do modelo.

Um pacote opcional oferece esquemas de cores contrastantes especiais no acabamento interno em black matt, dark silver, neodyme e champagne. As portas e consoles centrais podem ser revestidos em madeira, carbono fosco, alumínio ou tecido em relevo.

Segundo a marca, o couro e alguns compostos foram produzidos de forma mais ecológica. Partes de revestimentos e texturas utilizam material reciclado.

Mais Notícias