Topo

Lippi se demite da seleção chinesa após derrota para Síria

14/11/2019 15h37

ROMA, 14 NOV (ANSA) - O técnico italiano Marcello Lippi surpreendeu ao anunciar nesta quinta-feira (14) a sua demissão do cargo de treinador da seleção chinesa. O comandante de 71 anos renunciou ao cargo na coletiva de imprensa após a derrota por 2 a 1 diante da Síria, em Dubai, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022.   


Lippi estava furioso na conferência e assumiu a responsabilidade pela má exibição da equipe antes de anunciar sua demissão.   


"Não quero falar sobre esse jogo. Uma equipe deve dar tudo em campo. As táticas do treinador principal devem ser realizadas.   


Se o jogador tem medo de perder o jogo, não há espírito de luta, desejo, coragem. É minha responsabilidade, apesar de derrotarmos Guam e as Maldivas, o time contra o qual jogamos hoje foi melhor, mais coordenado e organizado do que nós. Meu salário anual é muito alto. Eu sou totalmente responsável por esta perda. Agora declaro que me demito oficialmente", disse Lippi.   


Essa foi a segunda passagem do italiano pela seleção chinesa. O técnico deixou o cargo em janeiro deste ano, mas voltou em maio.   


A China, com sete pontos em duas vitórias e um empate, agora está cinco pontos atrás da Síria, líder do grupo. Os chineses também estão empatados com as Filipinas, que bateram as Maldivas por 2 a 1.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Notícias