PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

López Obrador minimiza aumento de casos de covid-19 e mortes de vacinados

23/06/2021 22h37

Cidade do México, 23 jun (EFE).- O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, procurou minimizar nesta quarta-feira o aumento nos casos de covid-19 e as mortes de pessoas que foram vacinadas, embora tenha prometido mais informações após um aumento substancial em alguns estados.

"Agora que há um aumento em vários estados, nós os revisamos, no caso de Sonora há uma retomada das infecções, mas digamos, não é alarmante, e ainda não se reflete no número de mortes", afirmou o presidente durante sua entrevista coletiva diária.

Suas declarações ocorrem em meio ao aumento nos casos de covid-19 no México, que é o quarto país com mais mortes em decorrência da doença, com mais de 231,5 mil óbitos e cerca de 2,48 milhões de casos.

Após quatro meses consecutivos de queda, o México pode fechar esta semana com um aumento entre 15% e 18% no número de casos estimados, disse Hugo López-Gatell, subsecretário de Prevenção e Promoção da Saúde no México.

As infecções afetaram particularmente estados turísticos, como Baixa Califórnia do Sul e Quintana Roo, onde os novos casos já superam os da "segunda onda" de dezembro e janeiro.

Além disso, causa preocupação que estados como Sonora, Michoacán, Hidalgo, Nuevo León e San Luis Potosí tenham relatado a morte de pessoas que receberam pelo menos uma dose da vacina.

Questionado sobre essas mortes, López Obrador comentou que "é mínimo, ou seja, praticamente inexistente".

"Hoje o Ministério da Saúde vai informar, mas não é um assunto grave, o que vocês estão me relatando, eu não tinha sido informado e todos os dias temos uma reunião sobre a pandemia", comentou.

O México já aplicou mais de 40,7 milhões de doses de diversas vacinas, como Pfizer/BioNTech, Janssen, AstraZeneca, Sputnik V, CanSino e CoronaVac.

Apenas cerca de 17 milhões de pessoas tomaram as duas doses, em um país de 126 milhões de habitantes.

Pressionado pela morte de pessoas vacinadas, o presidente pediu para não haver alarme.

"Temos que ver se é verdade e se tem a ver com vacinas, porque podem morrer de outra causa", insistiu.

López Obrador também sugeriu que há pessoas que espalham informações não verificadas, como infecções que vêm ocorrendo nas escolas, com o objetivo de causar medo.

Notícias