PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

SP manterá regras da fase de transição no feriado de Tiradentes, na quarta

Como ficam as restrições em São Paulo durante o feriado de Tiradentes  - PAULO GUERETA/ESTADÃO CONTEÚDO
Como ficam as restrições em São Paulo durante o feriado de Tiradentes Imagem: PAULO GUERETA/ESTADÃO CONTEÚDO
do UOL

Douglas Porto

Do UOL, em São Paulo*

19/04/2021 20h20Atualizada em 19/04/2021 23h30

Mantido fora da lista de feriados oficiais antecipados pela prefeitura de São Paulo e na região metropolitana entre 26 de março e 4 de abril, o feriado de Tiradentes, instituído em lei federal nº 1067/2002 e que neste ano será na próxima quarta-feira (21), não será um dia útil.

O Governo do Estado de São Paulo decidiu por não suspender as atividades comerciais. Assim, a chamada "fase de transição", dentro da fase vermelha do Plano SP de retomada econômica, continuará em vigor. Ela delimita a ocupação máxima de 25% entre às 11h e 19h.

O "toque de restrição" que foi implantado pela gestão do governador João Doria (PSDB) para diminuir a circulação de pessoas, assim evitando a disseminação do novo coronavírus, permanece válido entre 20h e 5h no feriado.

Embora não haja, até então, qualquer recomendação específica para o feriado, o governo recomenda que pessoas de setores que não forem trabalhar fiquem em casa. Parques, restaurantes e atividades culturais e de lazer seguem suspensas no estado. Serviços de segurança pública e privada estão permitidos, e seguem vetadas quaisquer atividades com aglomeração.

O rodízio será mantido?

A Prefeitura de São Paulo irá manter o rodízio de veículos entre 20h e 5h, para placas com final 5 e 6, devido ao "toque de restrição". O rodízio convencional, entre 7h e 10h e das 17h às 20h segue suspenso.

O rodízio de caminhões também está suspenso durante o feriado. A circulação na Zona de Máxima Restrição de Circulação (ZMRC) (no centro expandido) e a Zona Máxima de Restrição de Fretados (ZMRF) também estará permitida.

Os bancos abrirão?

De acordo com comunicado da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), os bancos não irão abrir, mesmo em cidades que tenham adiantado feriados.

A entidade reforça o pedido de "de que os clientes e o público em geral evitem ao máximo o comparecimento presencial nas agências bancárias, utilizando os canais digitais como principal meio de acesso aos serviços."

*Colaborou Lucas Borges Teixeira, do UOL, em São Paulo

Notícias