PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
15 dias

SP anuncia vacinação de 63 e 64 anos para 29/4; e de 60 a 62 anos em 6/5

do UOL

Lucas Borges Teixeira, Rafael Bragança e Letícia Lázaro

Do UOL, em São Paulo, e Colaboração para o UOL

14/04/2021 09h31Atualizada em 14/04/2021 15h33

O governo de São Paulo anunciou hoje as datas do início da vacinação contra a covid-19 para novas faixas etárias do grupo prioritário. A partir do dia 29, começam a ser vacinados idosos de 63 e 64 anos. Uma semana depois, em 6 de maio, serão imunizadas as pessoas com idade entre 60 e 62 anos.

O estado vacina desde anteontem (12) os idosos com 67 anos. No dia 21, está previsto o início da imunização da faixa etária de 65 e 66 anos.

Segundo o governador João Doria (PSDB), as novas faixas etárias receberão, em sua maioria, a vacina AstraZeneca/Oxford, envasada e distribuída pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), ligada ao governo federal. Por isso, a confirmação das novas datas depende do calendário de envio do Ministério da Saúde.

Até agora, a campanha de vacinação paulista vinha dependendo basicamente de doses da CoronaVac, envasada pelo Instituto Butantan, que é ligado ao governo estadual.

"A vacinação dependerá aqui da entrega da vacina AstraZeneca da Fiocruz. A Fiocruz informou o governo do estado de São Paulo, os governadores e o Ministério da Saúde sobre a entrega da AstraZeneca. E essas pessoas nessas faixas etárias serão vacinadas majoritariamente com a vacina da Fiocruz, mas também com a vacina do Butantan", disse Doria durante entrevista coletiva realizada hoje sobre a pandemia.

Além das entregas previstas pela Fiocruz e da distribuição a ser feita pelo governo federal, o cronograma da vacinação contra a covid-19 em São Paulo também depende das prefeituras, que têm autonomia para adotarem datas diferentes.

As novas faixas etárias previstas para serem vacinadas a partir do fim de abril somam o dobro do que os últimos grupos que entraram no cronograma. Enquanto as pessoas a serem vacinadas com 67 anos somam 350 mil e as de 65 e 66 anos são 760 mil, os dois novos grupos representam 2,24 milhões se somados —840 mil com 63 e 64 anos, e 1,4 milhão entre 60 e 62 anos.

A coordenadora do programa de imunização do estado, Regiane de Paula, afirmou que mais de 8,2 milhões de doses foram aplicadas no estado. De acordo com ela, depois dos idosos de 60 anos, devem ser imunizadas as pessoas com comorbidades para covid-19.

"Tendo mais vacinas, vamos seguir o calendário e trabalhar de acordo com aquilo que ta no PNI [Plano Nacional de Imunização]", disse.

Insumos da CoronaVac na segunda

Com o envase da CoronaVac suspenso há mais de uma semana pela falta de insumos vindos da China, o diretor do Butantan, Dimas Covas, disse hoje que a nova remessa de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) chegará na próxima segunda-feira (19). Assim, a instituição poderá retomar a produção de doses e finalizar as entregas do primeiro compromisso feito com o Ministério da Saúde, de disponibilizar 46 milhões de doses.

"Hoje nós recebemos a confirmação da chegada de 3 mil litros de matéria-prima para o dia 19. Com isso, permitiremos a produção de mais de 5 milhões de doses, que serão entregues para completar o primeiro contrato com o Ministério e iniciar o segundo contrato de 54 milhões [de doses]", afirmou o diretor, lembrando o acordo total feito com o governo federal, por 100 milhões de doses até o segundo semestre.

Hoje, o Butantan liberou pela manhã um novo lote de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde. Com mais 1 milhão de doses entregues ao governo federal, a instituição totalizou 40,7 milhões doses disponibilizadas. No entanto, o Butantan tem um cronograma apertado para cumprir ainda até o final do mês, quando precisa totalizar as 46 milhões de doses do primeiro contrato com o Ministério.

Notícias