PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Brasil sofre com desemprego, mas agronegócio cria 98 mil vagas; café lidera

Paulo Whitaker
Imagem: Paulo Whitaker
do UOL

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

17/10/2020 04h00

O Brasil amarga a perda de 849.387 empregos entre janeiro e agosto de 2020, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério da Economia. Esse resultado seria ainda pior não fosse o desempenho do agronegócio, que abriu 98.320 vagas com carteira assinada no mesmo período.

Com exportações recordes de grãos e de outros produtos agrícolas impulsionados pelo valor do dólar, diversos segmentos do agronegócio têm contratado mão de obra.

Entre os segmentos que mais empregaram nos oito primeiros meses do ano estão:

  • cultivo do café (17.741)
  • atividades de apoio à agricultura (17.227)
  • cana-de-açúcar (12.219)
  • soja (11.136)
  • criação de bovinos (8.481)
  • frutas de lavoura permanente, exceto laranja e uva (5.987)
  • criação de aves (4.745)
  • horticultura (2.783)
  • cultivo de cereais (2.163)
  • uva (1.946); suínos (1.905)
  • produção de florestas plantadas (1.197)

Exportações impulsionam o agronegócio

A exportação de produtos agrícolas tem impulsionado a contratação de trabalhadores. Entre janeiro e setembro de 2020, houve aumento de 2,5% do volume de produtos brasileiros exportados. A balança comercial brasileira está positiva em US$ 42,4 bilhões.

Segundo o Ministério da Economia, foram registrados volumes recordes para:

  • soja (79,6 milhões de toneladas no acumulado do ano)
  • óleos brutos de petróleo (55,4 milhões de toneladas)
  • farelos de soja (13,7 milhões de toneladas)
  • celulose (12 milhões de toneladas)
  • óleos combustíveis (11,8 milhões de toneladas)
  • carne bovina (1,3 milhão de toneladas)
  • algodão (1,2 milhão de toneladas)
  • carne suína (675 mil toneladas)

Estados que mais empregaram no campo

São Paulo foi o estado que mais abriu empregos com carteira assinada no campo entre janeiro e agosto, com a criação de 66.235 vagas.

Veja o ranking:

  • São Paulo (66.235 vagas)
  • Minas Gerais (8.585)
  • Goiás (7.098)
  • Bahia (5.390)
  • Mato Grosso (4.509)
  • Paraná (3.798)

Notícias