PUBLICIDADE
Topo

Texas retoma execuções após cinco meses de moratória pela COVID-19

08/07/2020 23h17

Houston, Estados Unidos, 9 Jul 2020 (AFP) - O estado do Texas retomou nesta quarta-feira (8) as execuções, com um homem condenado por latrocínio pela morte de um idoso após um assalto em 1993, o que terminará com uma moratória de vários meses pela crise do novo coronavírus.

Billy Joe Wardlow, de 45 anos, foi declarado morto às 18h52 locais (20h52 de Brasília), após receber uma injeção letal na penitenciária de Huntsville, informaram autoridades do local.

Seus advogados tentaram uma apelação de última hora na Suprema Corte.

Com a ajuda de sua então namorada, Wardlow abordou um idoso chamado Carl Cole para tentar roubar sua caminhonete.

Mas Cole, que tinha 82 anos, reagiu e Wardlow, que acabara de completar 18 anos, atirou em sua cabeça.

O casal tentou fugir do Texas para Montana, no norte do país, mas foi detido em Dakota do Sul, depois de uma perseguição de 15 horas da pequena localidade do Texas onde o crime ocorreu.

No Texas, antes de se condenar um réu à morte, os jurados devem provar que a pessoa representa um risco futuro.

O advogado de Wardlow, Richard Burr, argumenta que seu cliente era jovem demais para que se estabeleça com "certeza científica" esta afirmação e interpôs uma petição para suspender o processo.

Para Burr, devido a que o desenvolvimento cerebral continua até depois de uma pessoa completar os 20 anos, seu "caráter não estava completamente formado antes dos 21 anos".

Até agora, a Suprema Corte não se pronunciou.

Em 2005, o máximo tribunal aboliu a pena de morte para condenados de 17 anos ou menos.

Para a defesa de Wardlow, não há diferenças neurológicas entre alguém de 17 e de 18 anos.

A execução de Wardlow estava prevista para 29 de abril, mas foi adiada para esta quarta-feira por causa da pandemia.

Em cada execução, costuma haver um grande número de pessoas envolvidas, como guardas prisionais, testemunhas, familiares do preso e pessoas próximas à vítima.

Wardlow foi a sétima pessoa executada nos Estados Unidos desde o começo do ano e a terceira no Texas.

Neste estado, nenhuma pessoa foi executada desde o começo de fevereiro.

Antes de Wardlow, a execução mais recente tinha sido realizada em 19 de maio no Missouri, segundo o Centro de Informação da Pena de Morte.

jbn/sst/an/ll/mvv

Notícias