PUBLICIDADE
Topo

Aéreas da Índia correm risco de extinção sem ajuda do governo

Anurag Kotoky

01/07/2020 16h01

(Bloomberg) -- Com tarifas aéreas baixíssimas, altos custos de combustível e impostos, o mercado de aviação da Índia já era um dos mais desafiadores. A pandemia de coronavírus pode ser a gota d'água para algumas das companhias aéreas do país.

Aéreas indianas precisam de US$ 2,5 bilhões para continuar voando, segundo o Centro de Aviação (CAPA), de Sydney, e esse valor pode ser suficiente apenas até o final do ano, se tiverem sorte. As aéreas sofreram um colapso total da demanda de 25 de março até o final de maio, quando a Índia proibiu voos comerciais de passageiros como parte das medidas para conter a pandemia de coronavírus.

Governos da Europa, EUA e outros países injetaram U$$ 123 bilhões para apoiar companhias aéreas durante a crise de Covid-19. Mas o governo do primeiro-ministro Narendra Modi, diante do déficit fiscal crescente, não destinou fundos para setores individuais ou companhias aéreas apoiadas por empresas privadas e, em alguns casos, bilionários.

As companhias aéreas do país precisam de investimentos significativos ou uma ou mais entrarão em colapso, disse Satyendra Pandey, consultor independente e ex-chefe de estratégia da Go Airlines India. Isso as coloca no caminho para seguir os passos da Flybe Group, do Reino Unido, Virgin Australia e Latam Airlines Group para um processo de administração ou colapso. O Grupo Aeromexico, segunda maior companhia aérea do México, disse na terça-feira que entrou com pedido de recuperação judicial nos EUA.

"Companhias aéreas com balanços fracos e garantias inadequadas sobreviveram retendo pagamentos a fornecedores por dois meses e assim por diante", disse Pandey.

O mercado de aviação indiano já era bastante desafiador antes da pandemia, com a esmagadora guerra de tarifas e os altos custos. Houve dois grandes colapsos na última década: o da Jet Airways India, a aérea mais antiga do setor privado do país, e o da Kingfisher Airlines, que era controlada por Vijay Mallya. A Air India enfrenta uma pilha de dívidas e há anos procura um comprador.

©2020 Bloomberg L.P.

Notícias