PUBLICIDADE
Topo

Com teste para coronavírus incompleto, paciente deixa hospital em São Paulo

26.fev.2020 - Passageiros desembarcam usando máscaras no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Brasil confirmou primeiro caso do novo coronavírus - NELSON ALMEIDA / AFP
26.fev.2020 - Passageiros desembarcam usando máscaras no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Brasil confirmou primeiro caso do novo coronavírus Imagem: NELSON ALMEIDA / AFP

Renata Cafardo

São Paulo

28/02/2020 07h45Atualizada em 28/02/2020 08h12

São Paulo - Um paciente que era atendido nesta quinta-feira no Hospital São Paulo, na zona sul da capital paulista, com suspeita de estar infectado com o coronavírus, foi embora sem que os testes tivessem terminado.

O homem havia voltado de uma viagem à Itália e apresentava sintomas de gripe. Um primeiro teste havia sido feito e dado negativo para o coronavírus.

No entanto, segundo fontes ligadas ao hospital, a equipe médica o havia internado em isolamento e pretendia fazer novos testes. Ele, então, manifestou a intenção de deixar o local. A mulher dele também estaria com sintomas e sendo atendida em um hospital particular.

O Hospital São Paulo deve se pronunciar oficialmente nesta sexta-feira sobre o caso. A Secretaria Estadual de Saúde disse ontem que analisava o caso e não tinha resposta sobre o que seria feito.

Segundo o código de ética médica, o paciente pode decidir sobre seu tratamento, mas o médico deve interferir em caso de perigo de vida.

Publicação do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) informa que, no caso da alta a pedido, sem colocar em risco a vida do paciente, nem o médico nem o hospital podem ferir o princípio da autonomia, cerceando o direito de ir e vir. A alta deve ser documentada e assinada.

O paciente não teria assinado o termo. Se houver complicações, médico e hospital podem ser responsabilizados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Notícias