PUBLICIDADE
Topo

Chuva forte volta a atingir a região metropolitana de Belo Horizonte

Chuva voltou a castigar a Região Metropolitana de Belo Horizonte  - Reprodução/TV Globo
Chuva voltou a castigar a Região Metropolitana de Belo Horizonte
Imagem: Reprodução/TV Globo
do UOL

Do UOL, em São Paulo

24/01/2020 23h57

A chuva forte voltou a atingir a região metropolitana de Belo Horizonte (MG) na noite de hoje. Córregos transbordaram, avenidas ficaram alagadas e pessoas ilhadas, conforme vídeos divulgados nas redes sociais.

A avenida Bernardo Vasconcelos, na região Nordeste da capital mineira, por exemplo, ficou alagada depois que o córrego Cachoeirinha, que corta a via, não suportou o volume de água e transbordou.

Segundo informação dos jornais "Estado de Minas" e "O Tempo", o temporal desta noite também provocou o desmoronamento de um barranco na Vila Bernadete, em Belo Horizonte. Cinco casas teriam sido soterradas por volta das 22h. Pelo menos nove pessoas estariam nas residências, de acordo com "O Tempo".

O UOL tentou contato com o Corpo de Bombeiros para confirmar as informações, no início da madrugada, mas não obteve retorno.

Em sua página nas redes sociais, a Defesa Civil informou que o maior volume de chuvas acumulado foi registrado nas regiões oeste e noroeste da capital mineira: 147,8 mm e 142,8 mm, respectivamente, entre 8h e 23h desta sexta.

Mãe e filhos morrem em desabamento

Momentos antes do desabamento, Samuel Ferreira, 25, ligou para a esposa, que estava com as crianças. "Ela estava se preparando para sair de casa, não deu tempo. Minha mulher e meus filhos estão lá. Foi tudo muito rápido."

Além da mulher e das crianças --que tinham seis anos e seis meses de idade, respectivamente--, a madrinha de uma das crianças também estava no local. O paradeiro dela ainda é desconhecido.

Segundo a major Estela Vieira, do Corpo de Bombeiros, a identificação da mulher foi feita pela tatuagem nas costas dela, conforme relato de Samuel. Vieira ainda contou que mãe e bebê estavam abraçados quando seus corpos foram encontrados.

Além da casa de Samuel, outra residência também desabou no mesmo bairro. Nesse outro imóvel estavam três pessoas. Elas também são procuradas.

Chuva quebra recorde histórico em BH

As chuvas que atingem Belo Horizonte desde a noite de quinta-feira (23) quebraram um recorde histórico na cidade. De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), entre 9h01 de ontem e 9h de hoje, o acumulado foi de 171,8 mm —o maior volume em 24 horas desde o início das medições, em 1910.

Antes disso, o maior volume já registrado na capital mineira era do dia 14 de fevereiro de 1978, quando o acumulado em 24 horas foi de 164,2 mm.

Ao UOL, o Inmet informou que o mau tempo tende a se estender pelo menos até a manhã do domingo. Às 15h26, a Defesa Civil de Belo Horizonte informava que a chuva forte na cidade se concentrava nas regiões oeste e centro sul, mas foram registrados alagamentos nas nove regiões administrativas da capital.

A avenida Cristiano Machado, uma das vias mais importantes da cidade, ficou alagada na altura da estação São Gabriel e foi interditada por quase duas horas, apesar disso a estação não chegou a ser interditada.

O acumulado das chuvas do mês de janeiro de 2020 ainda supera muito a média do mesmo período em anos anteriores: são 666,8 milímetros no acumulado do primeiro mês deste ano, contra 329,1 da média de janeiro de todos os anos. O maior volume acumulado no período foi registrado em 1985, quando o acúmulo nos 31 primeiros dias do ano foi de 850,3 milímetros.

Notícias