Topo

Radialista suspeito de oferecer trabalho a mulheres e estuprá-las é preso

Homem é preso em Minas Gerais suspeito de enganar mulheres carentes para depois estuprá-las - Divulgação/Polícia Civil
Homem é preso em Minas Gerais suspeito de enganar mulheres carentes para depois estuprá-las Imagem: Divulgação/Polícia Civil
do UOL

Bruna Alves

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/11/2019 19h29

A Polícia Civil prendeu ontem um homem suspeito de oferecer trabalho para mulheres carentes com a intenção de estuprá-las depois. O radialista de 54 anos foi preso em casa na cidade de Lassance (MG), a cerca de 270 km de Belo Horizonte. A reportagem não localizou o advogado de defesa do suspeito. Em depoimento, ele permaneceu calado.

Após dois meses de investigações, a polícia concluiu que o suspeito estuprou uma mulher de 21 anos e uma adolescente de 14. De acordo com a investigação, ele oferecia trabalho doméstico para as vítimas em sua residência, onde também funciona uma rádio clandestina.

"Ele oferecia presentes como sapatos, cremes, roupas femininas e, inclusive, cestas básicas, aproveitando o grau de miserabilidade das vítimas", afirmou o delegado responsável pelo caso, Guilherme Cardoso Vasconcelos.

Ainda de acordo com as investigações, o suspeito, inicialmente, fez uma proposta sexual à vítima de 21 anos, que é casada, mas ela recusou. Ele, então, teria trancado a mulher no imóvel e, sob ameaça, cometido o estupro. Depois, na tentativa de silenciá-la, continuou a ameaçando, dizendo que se ela a denunciasse, ele usaria de sua influência na cidade para desmentir o crime.

"Ele coagia as vítimas até com uma faca, e afirmava que nada aconteceria com ele, porque ele é radialista e conhecia pessoas importantes, e ninguém iria acreditar na palavra delas. Ele falava que tinha uma influência política na cidade para inibir as vítimas", afirma o delegado.

No entanto, há cerca de um mês, a mulher procurou a polícia e registrou um boletim de ocorrência. Desde então, um inquérito policial foi instaurado para investigar o caso. Segundo o delegado, o suspeito também oferecia cremes para as mulheres revenderem, mas antes, ele teria que aplicar o produto no corpo das vítimas.

"Quando a vítima chegava lá, e são mulheres bem pobres, ele dizia que o creme era muito bom, mas que ele que tinha que passar o creme e mandava elas tirarem a roupa, daí elas resistiam e acontecia o ato sexual". O estupro aconteceu somente uma vez com cada mulher, segundo a polícia.

Detalhes do estupro da adolescente de 14 anos não serão divulgados, mas a Polícia Civil afirma que os depoimentos de ambas as vítimas foram muito parecidos, o que levou à conclusão das investigações.

O suspeito cumpre prisão preventiva no presídio Várzea da Palma (MG). Em sua residência, foram encontradas várias roupas femininas novas, um sapato feminino, cremes de corpo e dezenas de preservativos. Em depoimento à polícia, ele não respondeu nenhuma das perguntas e permaneceu em silêncio.

"As investigações continuam porque já temos notícias que existem outras vítimas lá no município de Lassance", finaliza o delegado.

Notícias