Topo

Joice fala sobre montagens gordofóbicas na internet: "Ataques muito baixos"

do UOL

Do UOL, em São Paulo

21/10/2019 23h14

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) comentou hoje em entrevista para o Roda Viva, da TV Cultura, sobre os ataques gordofóbicos recentes que ela vem sofrendo pela internet.

Insuflada pelo deputado Carlos Bolsonaro (PSL-RJ), a hashtag #DeixeDeSeguirAPepa se tornou um dos temas mais comentados do Twitter no Brasil no último final de semana. Além da imagem da porquinha do desenho infantil, apoiadores de Eduardo Bolsonaro postaram imagens em que ironizam a forma física da deputada.

"O governo tem que se preocupar com o Brasil. Enquanto fica essa guerrinha de meme para cá, montagem para lá, as de hoje foram sensacionais é para fazer qualquer estrategista de guerra virtual falar: que sensacional! São ataques muito baixos, muito sujos, fazendo montagem minha com imagem de bicho, com corpo de porco", comentou a deputada no programa.

"Enquanto isso a gente está aqui com emprego que não cresce, com problemas para resolver, pacote anti-crime parado no congresso. E a gente vê todo esse estardalhaço envolvendo o palácio do planalto e sempre tem um filho envolvido nisso. Até quando isso vai acontecer? Até o ministro Moro já foi frito por parte dessa rede, o Brasil não ganha com isso, só perde", acrescentou.

Joice, que desde semana passada vem travando uma guerra online contra os filhos do Bolsonaro em ataques via Twitter, disse que se arrepende de ter entrado nas provocações. Ela foi indagada durante o programa para comentar especificamente sobre um tweet em que usou emoji de três veados e três ratos, mensagem que foi considerada homofóbica. Questionada se a mensagem era endereçada a Carlos Bolsonaro, Joice respondeu:

"Eu perdi a paciência, não tenho sangue de barata, ficam provocando demais e não farei mais isso. Não deveria ter descido a esse nível. Passei dos limites nesse tweet. Ele me provocou e eu respondi. Ele jogou uma isca e eu mordi. Acho que minha responsabilidade como a mulher mais votada da Câmara, como uma mulher que se coloca sempre como uma mulher de direita que quer ver privatização, a economia bombando, acho que não ajuda em nada o Brasil quando desço ao nível da molecada e ajo da mesma forma. Nisso já deixei publicamente que errei e vou apagar o post", afirmou.

Crise no PSL

Após ser retirada de sua função no Congresso Nacional pelo próprio presidente. Hasselmann e Eduardo passaram a trocar acusações, principalmente pelas redes sociais. Na última sexta, o deputado federal publicou uma montagem com a imagem dela dentro de uma nota de R$ 3, insinuando que a deputada é falsa.

Em seguida, Hasselmann postou montagem de Eduardo vestido como Quico, personagem da série mexicana "Chaves", e disse entre outras coisas: "Deputado eleito pelo papai querendo ser embaixador", referindo-se à tentativa do filho de Bolsonaro de se tornar embaixador do Brasil em Washington (EUA).

No final de semana, ambos voltaram a trocar ofensas: primeiro, o filho do presidente escreveu. "Galvão, deixe de seguir a pepa", direcionando a mensagem a Joice. A deputada respondeu pouco tempo depois e o chamou de "picareta" e um "zero à esquerda".

"Picareta! Menininho nem-nem: nem embaixador, nem líder, nem respeitado. Um zero a esquerda. A canalhice de vocês está sendo vista em todo Brasil. Ouvi agora aplausos num tradicional restaurante em SP e a palavra: como eles foram canalhas com você! Saiba que você está entre o 'eles'".

Notícias